Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Otto Alencar cogita convocar Paulo Guedes para explicar offshore ativa

Otto Alencar cogita convocar Paulo Guedes para explicar offshore ativa

Presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o senador baiano Otto Alencar (PSD) cogita convocar o ministro da Economia, Paulo Guedes, para explicar aos parlamentares a offshore que mantém ativa mesmo após assumir a pasta. O caso foi revelado no domingo (3) pelo ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, na sigla em inglês), que contou com a colaboração de veículos brasileiros. O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, também manteve offshores mesmo após assumir o cargo em 2019.

Em entrevista ao BNews nesta segunda-feira (4), Alencar disse que ainda aguarda uma manifestação de Guedes. Caso não aconteça ou dependendo do que for dito, pode convocar o ministro. “Tô aguardando manifestação do ministro Paulo Guedes se ele financiou, fez investimentos nas contas dele no exterior. Se fez, infringiu a lei brasileira”, afirmou.

Leia também: Aras vai oficiar Paulo Guedes para pedir informações sobre offshore

                        Guedes pode ter lucrado R$ 14 milhões com dólares de offshore

É legítimo ter uma offshore no Brasil, desde que ela seja declarada à Receita Federal e ao BC, e o dinheiro tenha origem lícita. Quem tem cargo público, no entanto, está sujeito a regras para impedir o autofavorecimento.

Campos Neto afirmou ao ICIJ que as offshores foram encerradas. Porém, reuniões apontam que o presidente do BC ainda estava administrando as empresas enquanto comandava a instituição. Otto Alencar disse que o posicionamento divulgado pelo banqueiro ainda está sendo analisado. O presidente do BC afirma não ter feito também nenhuma remessa de recursos nem investimentos com os recursos lá depositados. Guedes não respondeu diretamente.

Demissão

Na avaliação do senador Otto Alencar, o ministro Paulo Guedes poderia ser demitido. “As duas maiores autoridades da Economia do país com offshores é uma coisa estranha. Em qualquer país do mundo, ele [Guedes] seria demitido”, disse ao BNews.

Alencar também citou a valorização do Dólar, que aumentou desde que Guedes assumiu o cargo. Atualmente, a moeda está em R$ 5,4450, registrando nesta segunda uma alta de 1,43%.

Guilherme Boulos, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSOL, também pede a demissão de Paulo Guedes do cargo de ministro da Economia, após a revelação de que o economista mantém uma empresa em paraíso fiscal, mesmo após assumir a função.

“Não contente em destruir a economia, devolver o país ao mapa da fome, ele conseguiu lucrar com isso”, disse ao site Poder360. “Em qualquer governo sério, Paulo Guedes estaria demitido depois de um escândalo como esse”.

Congressistas de oposição ao governo Bolsonaro querem convocar o ministro para explicar se o economista fez investimentos na offshore que mantém em um paraíso fiscal, enquanto esteve à frente da pasta.

Informações: Folha

OUTRAS NOTÍCIAS