ONU responsabiliza governo sírio por ataque com gás sarin

bebe-idlib

bebe-idlib

Investigadores da Organização das Nações Unidas concluíram que o governo sírio foi responsável por ataque com gás sarin no mês de abril contra a cidade de Khan Sheikhoun, que deixou mais de 80 mortos e mais de 200 feridos. Entre as vítimas, estavam várias crianças.

O serviço de inteligência da França já tinha atribuído ao governo de Bashar al-Assad o ataque de 4 de abril, na província de Idlib. A Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) divulgou um relatório em que também conclui que o gás tinha sido utilizado na ação embora não tenha mencionado quem seria o responsável pela ação.

De acordo com o 14º relatório da Comissão de Investigação da ONU sobre a situação dos direitos humanos na Síria, publicado nesta quarta-feira (6), “em 4 de abril, durante uma campanha aérea (…) as forças aéreas sírias utilizaram gás sarin”.

Em entrevistas concedidas desde 4 de abril, Assad disse que os indícios de um ataque com gás venenoso são falsos e negou que seu governo já tenha utilizado armas químicas. Investigações da ONU, no entanto, dão conta de que o regime sírio utilizou armas químicas pelo menos 27 vezes.

Os investigadores rejeitaram o argumento defendido pela Síria e sua aliada Rússia de que os ataques aéreos atingiram um depósito no qual eram armazenadas substâncias químicas.

| G1

OUTRAS NOTÍCIAS