Nubank paga ex-funcionários para não falarem mal da empresa

por_pixabay_3_etXYoTY_widelg

O Nubank resolveu incluir uma cláusula não-difamatória nos contratos para impedir que funcionários demitidos pela empresa as critiquem. O caso veio à tona depois da instituição demitir quase 30 colaboradores.

De acordo com especialistas, isso não é considerado ilegal, mas desnecessário e pode ser derrubado na Justiça. A cláusula não-difamatória informa que ex-funcionários do Nubank são beneficiados com até dois salários extras e extensão de três meses do plano de saúde em troca de não criticar a empresa nas redes sociais após demissão. Além da internet, essa medida é válida também para imprensa ou qualquer outra “entidade individual” de modo que isso “possa prejudicar a condução dos negócios de qualquer parte” ou afetar “a honra, boa fama ou reputação” dos dois lados.

Segundo o Nubank, a cláusula é assinada durante a contratação. Porém, um ex-colaborador disse ao UOL que só soube dela um dia depois de ser desligado.

Em nota, o Nubank diz que, em respeito ao sigilo e proteção de dados dos seus colaboradores, não fala publicamente casos específicos. Porém, ressalta que segue à risca a legislação trabalhista.

Além disso, a empresa afirma que as demissões fazem parte do plano de negócios do ano. “Como todas as empresas, [o Nubank] avalia constantemente a estrutura e realiza contratações, desligamentos e transferências internas de acordo com as demandas do negócio, performance, necessidade de equipe, entre outros motivos. O Nubank segue contratando, no ritmo adequado para seus planos de negócios em 2023”. 

UOL

 

OUTRAS NOTÍCIAS