“Não é a primeira vez que ela faz isso”: Sindicato acusa mulher de mentir após ela denunciar vigilante por assédio

whatsapp_image_2023-08-30_at_16.10.17_HOlhg2m_widelg

Um vigilante foi acusado de importunação sexual pela cabeleireira Taises Gleizes Ferreira de Jesus, de 35 anos, na manhã de segunda-feira (30), e a situação se tornou uma verdadeira confusão. A história ganhou um novo capítulo após o representante do Sindicato dos Vigilantes de Feira de Santana, Juraci Mendes, declarar que essa não seria a primeira vez que a mulher faria acusações de assédio, culpando diferentes pessoas. As informações são do site BNews

A mulher, que foi atendida em uma unidade do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), localizado no terminal rodoviário de Feira de Santana, alega que o homem começou a olhá-la fixamente, com cunho sexual. Segundo ela, em dado momento, ele a chamou de “gostosa” e fez gestos obscenos. Perdendo a paciência, a suposta vítima deu um tapa no rosto do vigilante.
O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Feira classificou o vigilante acusado como um homem tranquilo e calmo, e declarou que “todos conhecem o serviço” do rapaz.
Não só os funcionários do SAC, como também o pessoal que estava sendo atendido foram testemunhar a favor dele”, comentou Mendes.
Ainda segundo o sindicalista, a mulher teria mentido sobre as acusações. “O vigilante em momento nenhum fez o que a senhora está falando, nós temos as imagens do ocorrido, temos testemunhas que foram testemunhar a favor do vigilante, que estavam presentes no momento, sendo atendidas no momento do ocorrido, em momento nenhum o vigilante chegou a conversar com essa senhora”, alega o homem.
“Não é a primeira vez que ela faz isso, ela tem três ou quatro processos dessa situação em que ela acusa as pessoas”, completa.

Mendes também declarou estar acionando o setor jurídico do sindicato para colher provas e testemunhas para reverter a situação.

Informações extraídas do Bnews
Foto: Reprodução/BNews

OUTRAS NOTÍCIAS