Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Mulher tenta arrancar pênis de ex com faca ao suspeitar de abuso sexual contra filho

Mulher tenta arrancar pênis de ex com faca ao suspeitar de abuso sexual contra filho

Uma mulher suspeita de usar uma faca para tentar arrancar o pênis do ex-marido foi presa nesta quarta-feira (16), na cidade de Crucilândia, Região Central de Minas.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher foi até a Polícia Militar com o objeto usado no crime e contou o que aconteceu.

Em conversa com os militares, a mulher disse que cometeu o crime porque descobriu que o ex-companheiro abusava sexualmente do filho do casal de 4 anos. A mãe também contou que planejou o delito, assim que a criança relatou os abusos.

Ela foi até a casa do ex-companheiro e fez sexo oral nele. Durante o sexo, mordeu o órgão genital do homem na tentativa de tentar arrancá-lo. Como não conseguiu, usou uma faca para cortá-lo.

A mulher foi presa. Segundo a Polícia Militar, já havia um mandado de prisão em aberto contra ela por um crime em Itaúna, mas não foi informado qual crime seria.

O filho do casal está provisoriamente com uma tia, até que o Conselho Tutelar decida qual o futuro dele.

Socorrido para hospital

O homem foi socorrido e levado para o hospital da cidade. Porém, por conta da profundidade do corte, precisou ser transferido para o Hospital Regional de Betim.

Em nota, a Prefeitura de Betim informou que o paciente passou por cirurgia e seu quadro é estável.

Prisão em flagrante e inquérito

Segundo a Polícia Militar, o celular da vítima foi recolhido para perícia, já que a suspeita afirmou que no aparelho teria vídeos infantis pornográficos.

Já a Polícia Civil disse que instaurou um inquérito para apurar os “possíveis abusos sexuais” denunciados pela mãe. A investigação tramita na Delegacia De Polícia Civil em Bonfim.

Sobre a violência cometida pela mulher, a Polícia Civil disse que ratificou a prisão em flagrante dela pelo crime de lesão corporal grave.

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS