Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Mulher morre após esperar sete anos por vaga em hospital para cirurgia cardíaca na Bahia

Mulher morre após esperar sete anos por vaga em hospital para cirurgia cardíaca na Bahia

morte-cirurgia

Morreu na noite desta quinta-feira (2) dona de casa Josilene dos Santos, que aguardava por uma cirurgia cardíaca há sete anos, em Juazeiro (BA). Diagnosticada com com miocardiopatia, doença que compromete o funcionamento do miocárdio, músculo do coração, ela teve quatro paradas cardíacas e não resistiu.

Josilene passou mal na tarde de quarta-feira (1º) e foi socorrida por familiares, que acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Com a demora da chegada da ambulância, um vizinho a levou até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, onde foi atendida.

Na unidade, Josilene foi medicada, mas sofreu quatro paradas cardíacas e morreu na manhã de quinta-feira. A dona de casa, que foi sepultada no mesmo dia, deixou sete filhos.

Há sete anos, quando descobriu a doença, Josilene procurou a Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau) para tentar agendar uma cirurgia prescrita pelo médico, no entanto, foi informada de que o procedimento só poderia ser realizado em Salvador.

De acordo com a mãe da paciente, Maria Josélia dos Santos, a Sesau informou que ela teria que aguardar o surgimento de uma vaga em um hospital da capital. Ainda segundo ela, Josilene chegou a procurar a Secretaria por diversas vezes, mas não obteve notícias sobre o encaminhamento da cirurgia.

“Em todos esses anos a gente se bate, procura, vai em um canto, vai em outro e nada. É muita revolta, a gente paga nossos impostos, mas na hora da doença não tem médico, não tem quem ajude, não tem quem faça nada. Agora, minha filha se foi e deixou os filhos aí”, disse.

Em nota, a Sesau lamentou a morte da dona de casa e se solidarizou com a família. O órgão disse, ainda, que a cirurgia que ela precisava não poderia ser feita em Juazeiro, que já tinha encaminhado a solicitação do procedimento para Salvador e esperava uma vaga em um hospital de referência para alta complexidade.

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por sua vez, informou que, como a paciente não estava internada em uma unidade de saúde, caberia ao setor de Regulação de Juazeiro encontrar uma vaga para ela na capital.

OUTRAS NOTÍCIAS