Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Mulher consegue diagnosticar Parkinson por cheiro

Mulher consegue diagnosticar Parkinson por cheiro

650x375_joy-parkinson_1574096

A mulher de um paciente com Parkinson diz que consegue detectar a doença pelo cheiro. Joy Milne percebeu a diferença do odor do esposo, Les, bem antes dele ser diagnosticado.

“O cheiro dele mudou. Não foi de repente, foi muito sutil – ele ficou com um cheiro almiscarado.” Na época, Joy não imaginava que a mudança do cheiro tinha relação com a doença. Ela só percebeu isso ao frequentar a instituição de caridade Parkinson’s UK e conhecer outras pessoas com o mesmo odor.

Ela comentou sobre o fato com pesquisadores, que ficaram intrigados, já que não existe um exame preciso para diagnosticar Parkinson. O olfato da mulher foi testado pela Universidade de Edimburgo e ela obteve êxito.

Foram entregues 12 camisas brancas para ela usadas por um grupo de seis pessoas com a doença e seis sem. Ao cheirar a roupa, ela acertou 11 dos 12 casos. Joy conseguiu descobrir todos pacientes com Parkinson, mas insistiu que um dos participantes do grupo sem a doença também tinha a enfermidade.

“Mas era o grupo de controle, então ele não tinha Parkinson. Segundo ele – e também segundo a gente – ele não tinha Parkinson”, disse Tilo Kunath, pesquisador associado da Parkinson’s UK na escola de ciências biológicas da universidade. Oito meses depois, o homem foi diagnosticado com Parkinson.

Após a pesquisa, os especialistas acreditam que mudanças na pele dos pacientes produzem esse odor. Agora, eles querem encontrar a “assinatura molecar” responsável pelo cheiro para desenvolver um teste simples para coletar amostras passando um cotonete na testa das pessoas.

OUTRAS NOTÍCIAS