Morre Kurt Masur, um dos regentes mais importantes do mundo

Morre Kurt Masur, um dos regentes mais importantes do mundo

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.H4irV3pWK2

Um dos maiores regentes do mundo, o alemão Kurt Masur, morreu neste sábado (19), aos 88 anos. Masur foi diretor musical da Filarmônica de Nova York entre os anos de 1991 e 2002. Em 2012, o maestro revelou que sofria de mal de Parkinson. Nascido na região de Silesia em 1927, ele dirigiu algumas das maiores orquestras do mundo, principalmente a Filarmônica de Nova York (1991-2002), a Orquestra Nacional de França (ONF), em Paris, e a Orquestra Filarmônica de Londres.

Também conduziu a orquestra Leipzig Gewandhaus, na Alemanha oriental, por 26 anos. Masur também dirigiu a 9ª Sinfonia de Beethoven nas celebrações que marcaram a reunificação da Alemanha, em 3 de outubro de 1990. O maestro também usou de sua influência para prevenir repressão sangrenta aos manifestantes pró-democracia quando o regime oriental entrou em colapso. Ele também foi o responsável pela filarmônica de Londres entre 2000 e 2007, depois tornou-se diretor honorário da Orquestra Nacional da França. Em abril de 2012, como diretor musical honorário da ONF, caiu acidentalmente do pódio de onde regia a orquestra no teatro Champs Elysées e teve o ombro fraturado.

No mesmo ano, após cancelar diversos concertos, revelou que sofria de Parkinson. Ele era influenciado por composições de Bach, Mendelssohn, Brahms e Beethoven. Masur já se apresentou algumas vezes no Brasil. Em 2000, ele regeu a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, quando ainda era titular da Filarmônica de Nova York. Ele deixa cinco filhos e a esposa, a soprano japonesa Tomoko.

OUTRAS NOTÍCIAS