Ministério Público investiga contratação de bandas pela Prefeitura de Camaçari

forum_debates_eleicoes_2012_luiz_caetano_bocao_news_rv_240112 (3)
forum_debates_eleicoes_2012_luiz_caetano_bocao_news_rv_240112 (3)
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) está investigando contratos de licitação firmados pela Prefeitura de Camaçari com produtoras de eventos entre 2010 e 2013, período da gestão do ex-prefeito Luiz Caetano (PT) e do seu sucessor, o também petista Ademar Delgado . O MP-BA pediu à administração cópias dos processos e documentos que justifiquem a inexigibilidade e/ou dispensa de concorrência, após representação do vereador Antônio Elinaldo (DEM).
A Jauá Produções, que tem como sócia Lorena Lima Carvalho Pereira, e a Itacimirim Eventos, de Michel Silva de Jesus, teriam recebido mais de R$ 2 milhões no final da gestão de Caetano e mais de R$ 3 milhões nos sete primeiros meses do governo de Delgado.
De acordo com o vereador, as empresas seriam geridas por “testas de ferro” e não teriam capital social mínimo para receber as verbas e, portanto, não poderiam arcar com os custos dos eventos. Segundo o vereador, as empresas teriam estreita relação com Nonato Lopes Pereira Filho (parente de Lorena e Michel e assessor do vereador petista Otaviano Maia, sobrinho de Caetano). Nonato também teria proximidade com Marcelo Maia, coordenador de eventos da Prefeitura no mandato de Delgado.

OUTRAS NOTÍCIAS