Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Mamãe Falei renuncia ao mandato de deputado estadual

Mamãe Falei renuncia ao mandato de deputado estadual

O deputado estadual Arthur do Val, mais conhecido como Mamãe Falei, renunciou ao mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo nesta quarta-feira (20). O Conselho de Ética da Alesp aprovou por unanimidade, na semana passada, a proposta de cassação do parlamentar.

A cassação definitiva ainda seria votada no plenário da Casa e a derrota dele já era dada como certa, tornando-o inelegível pelos próximos 10 anos. Para não passar por tal constrangimento, Arthur preferiu renunciar.

Ele divulgou uma nota anunciando sua decisão. Leia abaixo:

Sem o mandato, os deputados agora serão obrigados a discutir apenas os meus direitos políticos e vai ficar claro que eles querem na verdade é me tirar das próximas eleições.

Estou sendo vítima de um processo injusto e arbitrário dentro da Alesp. O amplo direito a defesa foi ignorado pelos deputados, que promovem uma perseguição política.

Vou renunciar ao meu mandato em respeito aos 500 mil paulistas que votaram em mim, para que não vejam seus votos sendo subjugados pela Assembleia. Mas não pensem que desisti, continuarei lutando pelos meus direitos.

O caso Mamãe falei

Em março, quando se iniciou a guerra na Ucrânia, o deputado viajou ao país para, segundo ele, “ver o que está acontecendo ‘in loco’”, durante a invasão do país pelas forças russas.

No entanto, logo após voltar de lá, foram vazadas mensagens de voz em que ele faz comentários sexistas sobre as refugiadas ucranianas. Do Val chegou a dizer que as mulheres da Ucrânia “são fáceis porque são pobres”.

“É inacreditável a facilidade. Essas ‘minas’ em São Paulo se você dá bom dia elas ‘iam’ cuspir na tua cara. E aqui elas são supersimpáticas, super gente boa. É inacreditável”, diz ele em um dos áudios.

“Mano, eu ‘tô’ mal. ‘Tô’ mal, ‘tô’ mal. Eu passei agora… são quatro barreiras alfandegárias. São duas casinhas em cada país. Mano, eu juro para vocês. eu contei: foram 12 policiais deusas. Deusas, mas deusas, assim, que você casa e, assim, você faz tudo o que ela quiser. Eu ‘tô’ mal, cara. Assim, eu não tenho nem palavras ‘pra’ expressar. Quatro dessas eram ‘minas’, assim, que você, tipo… mano, nem sei o que dizer. Se ela cagasse, você limpa o c* dela com a língua. Assim que essa guerra passar eu vou voltar para cá”, diz o deputado em outra mensagem de voz.

OUTRAS NOTÍCIAS