Lula diz a aliados que pedido de depoimento à PF é perseguição para atingi-lo

Brasil, Brasília, DF. 07/05/2009. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva em cerimônia de formatura de diplomatas do Instituto Rio Branco, em Brasília. - Crédito:BETO BARATA/AGÊNCIA ESTADO/AE/Código imagem:49826
Brasil, Brasília, DF. 07/05/2009. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva em cerimônia de formatura de diplomatas do Instituto Rio Branco, em Brasília. - Crédito:BETO BARATA/AGÊNCIA ESTADO/AE/Código imagem:49826

Brasil, Brasília, DF. 07/05/2009. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva em cerimônia de formatura de diplomatas do Instituto Rio Branco, em Brasília. - Crédito:BETO BARATA/AGÊNCIA ESTADO/AE/Código imagem:49826

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou nesta segunda-feira (14) de estar sendo perseguido, ao comentar a solicitação do delegado federal Josélio Azevedo de Sousa para ouvi-lo no contexto das investigações da Operação Lava Jato.

Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, o petista afirmou a aliados que o requerimento, encaminhado na semana passada ao Supremo Tribunal Federal (STF), é uma tentativa de atingi-lo politicamente, já que o próprio delegado admitiu que não há indícios de seu envolvimento direto com o esquema.

Ainda segundo Folha, Lula disse aos interlocutores que o pedido de Souza deve ser usado pela oposição como munição e reclamou dos excessos cometidos pelos delegados da PF sob a coordenação do ministro de Justiça, José Eduardo Cardozo. Um dos principais interlocutores de Lula, Wadih Damous (PT-RJ), classificou, em entrevista a Folha, a medida como “despropositada” e disse que o pedido “foi criado para beneficiar a oposição”.

OUTRAS NOTÍCIAS