Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Luiz Argôlo tem até quarta para se defender na Corregedoria da Câmara

Luiz Argôlo tem até quarta para se defender na Corregedoria da Câmara

Luiz-Argolo-2014-size-598

O chá de sumiço que o deputado federal Luiz Argôlo (SDD) tomou desde as divulgações de conversas que ligam o parlamentar baiano ao doleiro Alberto Yousseff, preso na operação “Lava Jato” da Polícia Federal, inevitavelmente terá que terminar na próxima quarta-feira (14/05).

Nesta quinta (08/05), o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB), solicitou pressa ao corregedor, deputado Átila Lins (PSD), na análise da representação feita contra o político, que é membro da Executiva Nacional do Solidariedade, partido criado em novembro do ano passado e liderado pelo deputado Paulinho da Força.

“Aqui ou acolá cometem erros, equívocos e a Casa tem que ser exemplar no seu lado de punir e repreender. Vamos apurar. Direito de defesa o parlamentar terá. E a Câmara tem que ser rápida, portanto, na apuração e na sua decisão”, disse o peemedebista.

Além da representação junto à Corregedoria, corre contra Argôlo uma representação no Conselho de Ética da Casa, formalizada nesta quarta (7) pelo PSol. “O deputado tem cinco dias regimentais para apresentar sua defesa e imediatamente virá o parecer da Corregedoria e eu levarei à Mesa em 24 horas”, garantiu o presidente da Câmara.

Conforme informações dadas à agência de notícias da Câmara, a assessoria de Luiz Argôlo informou que o deputado se defenderá das acusações apenas na Corregedoria e no Conselho de Ética. Já a data ainda é uma incógnita. Ontem, o vice-líder do Psol, Chico Alencar, em entrevista ao Bocão News, cobrou uma manifestação de Luíz Argolo “para o bem do parlamento”.

OUTRAS NOTÍCIAS