Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Ler em movimento provoca descolamento de retina?

Ler em movimento provoca descolamento de retina?

Ler no ônibus ou no carro é um habito comum que exige esforço do nosso sistema neurológico. Decodificar as informações do ponto de vista central e periférico em um ambiente em movimento para o cérebro pode se tornar “confuso” gerando mal-estar como tontura e dor de cabeça.

Acontece que do ponto de vista central, o cérebro decodifica a imagem à sua frente tendo como referencial um ponto parado, mas a visão periférica ao analisar a paisagem em movimento sinaliza ao corpo que você está em movimento, gerando possíveis náuseas.

A retina é uma camada interna do olho, que recebe e repassa imagens para o cérebro. Colada no globo ocular, ela não descola apenas com um movimento involuntário fruto de uma leitura no ônibus. O descolamento de retina é extremamente raro em situações como essas, sendo comum em decorrência de traumas e após exercícios intensos de repetição.

Claro que toda regra tem exceção: a literatura oftalmológica regista o caso de um brasileiro que descolou a retina lendo a bordo de um barco. Contudo, o leitor tinha fatores que contribuíram para o agravamento da comum situação: Ele possuía 6 graus de miopia e um caso severo de diabetes.

Em casos de traumas como acidente de carro ou uma bolada no rosto durante uma partida de futebol, o deslocamento inicial pode ser pequeno, quase imperceptível, notado apenas pelo surgimento de pequenas manchas na visão. Porém, sem o rápido atendimento, a retina inteira pode se descolar. Na dúvida, uma visita ao oftalmologista é a melhor decisão.

Informações: Revista Super Interessante

OUTRAS NOTÍCIAS