Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Imagens das câmeras de segurança da casa onde grávida foi baleada foram apagadas, diz família

Imagens das câmeras de segurança da casa onde grávida foi baleada foram apagadas, diz família

As imagens das câmeras de segurança da residência onde uma grávida de 9 meses morreu após ser baleada pelo marido, no sábado (5), na cidade de Santo Estevão, foram deletadas antes dela ser socorrida para uma unidade de saúde.

A informação foi repassada por um familiar da vítima à TV Subaé, filiada da TV Globo. O disparo teria sido feito pelo marido dela que alegou aos policiais que o tiro foi acidental.

Ainda de acordo com informações da emissora, no sábado a tarde, a biomédica Jéssica Regina Macedo Carmo chegou a uma unidade de saúde do município com um ferimento nas costas e alguns hematomas espalhados pelo corpo. O parto dela chegou a ser feito, mas o bebê, que era sexo masculino, assim como a mãe, não sobreviveu.

O homem, identificado como George Abreu, que é ex-vereador e atual chefe de gabinete na Câmara Municipal de Santo Estevão, contou ao pai da vítima que o ferimento nas costas de Jéssica teria sido provocado por uma gaveta após a mulher se desequilibrar e cair em cima do objeto.

À TV Subaé, familiares da vítima afirmaram ainda que os dois estavam juntos há pouco mais de um ano e que, durante esse período, a biomédica já apareceu outras vezes com hematomas pelo corpo.

A relação dos dois seria conturbada. Jéssica era mãe de uma outra criança, de 6 anos, fruto de um outro relacionamento, mas a garota vivia com avó, já que, segundo familiares, o homem não aprovava a aproximação das duas.

A biomédica e o filho foram enterrados na manhã de domingo (6), no Cemitério São Francisco de Assis, em Santo Estevão. A Polícia Civil da cidade investiga o caso.

Informações: TV Subaé

OUTRAS NOTÍCIAS