Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Gretchen fala que sexo na maturidade “é o melhor que existe”

Gretchen fala que sexo na maturidade “é o melhor que existe”

Aos 62 anos,  Gretchen comentou sobre sexo na maturidade e como a reposição hormonal a ajudou a ter bem-estar. Em entrevista para o jornal O Globo, a artista também falou sobre as decisões do filho Thammy Miranda. 

Sobre o casamento com Esdras de Souza, ela disse que é a primeira vez que é feliz de verdade. “Eu passaria tudo de novo se soubesse que o Esdras estaria no fim. Ele é o homem que sempre sonhei. As pessoas falavam: ‘Esse homem que você imagina não existe'”, disse. Mas ela respondia: “Existe sim e vou achá-lo”, disse. 

“Esdras é gentil, carinhoso, companheiro e me deixa ser eu mesma. Ele gosta de mim como sou”, comentou. Sobre sexo na maturidade, ela afirma que é o melhor que existe.

“É quando a mulher mais aproveita por ter como dizer o que e como gosta. Não sente mais vergonha nem tem de dar dar satisfação para ninguém. Faço reposição hormonal e isso me deu vida e bem-estar. Hoje também existem os ‘brinquedinhos’, aparelhos que são excelentes. As mulheres nem precisam mais ir para sites de relacionamento”, disse.

A cantora também falou sobre a necessidade de ter mãe. Ela é mãe de sete: Thammy (38), Décio (36), Jenny (32), Sérgio (28), Gabriel (24), Giullia (18) e Valentina (10). “Adotei a Jenny e a Valentina e é um amor único. Todos eles são bem-sucedidos. Nunca quis pensão dos pais deles, porque teria que me submeter à educação que eles iam querer dar. Jamais fui ao tribunal pedir dinheiro. Sempre falei: ‘Você dá se quiser porque trabalho e posso sustentá-los’. Eu decidi ser mãe. Considero-me maternal, mas não sou super protetora. A vida inteira falei para os meus filhos: ‘Viajo todos os meses, um dia posso não voltar, vocês precisam saber se virar sem mim’. Desde cedo, eles têm essa consciência”, disse. 

Sobre Thammy Miranda, ela comentou como encarou as decisões do filho. “Na infância, Thammy gostava de roupa de homem, curtia brinquedos de menino e queria fazer xixi em pé. Eu não percebi por não ter, naquela época, conhecimento dessa questão. Aos 15 anos, ele se relacionou com uma mulher. Passamos por um longo processo, que envolveu compreensão, amor e inúmeras conversas. É uma aceitação”, disse.

“Pais e filhos precisam caminhar juntos, aí tudo dá certo. Sempre apoiei o Thammy, estive e estou ao seu lado em todas as decisões”. Atualmente trabalhando como coach, Gretchen diz que recebe milhares de mensagens por dia de pessoas que pedem conselhos e orientações.

“A partir da pandemia, a vontade de me profissionalizar para trabalhar como coach ficou mais latente. Se não fosse a nova profissão, estaria há quase dois anos sem trabalhar. Durante o curso de Master Coach, descobri ser uma coach nata. Estimulo quem está do meu lado a alcançar os objetivos e a se valorizar. Fui atacada por psicólogos, mas a profissão de coach é reconhecida. Não me preocupo com as críticas. O que interessa é o que decidi para minha vida”, completou. 

Informação – Gente

OUTRAS NOTÍCIAS