Governo da Bahia autoriza início das obras do VLT; percurso será de 36,4 quilômetros

20240614-110542-1-

O Governo da Bahia autorizou, nesta sexta-feira (14), o início das obras do Veículo Leve de Transporte (VLT) de Salvador e região metropolitana.

O novo edital da obra do VLT, lançando em dezembro de 2023 pela Companhia de Transportes do estado da Bahia (CTB), por meio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur), abrange três trechos:

👉1º trecho: entre Ilha de São João, Subúrbio e Calçada (17 paradas e uma estação na Calçada);

👉 2º trecho: entre Paripe e Águas Claras (8 paradas e interligação com metrô);

👉 3º trecho: entre Águas Claras e Piatã (9 paradas e interligação com metrô).

O início dos projetos e montagem do canteiro de obras e serviços preliminares do VLT está previsto para julho deste ano, conforme informações fornecidas pela CTB em maio.

No total, o percurso será de 36,4 quilômetros, com 34 paradas e inclui, entre outras intervenções, a revitalização da estação ferroviária da Calçada.

Segundo o governo, as obras civis e o sistema de energia estão orçados em cerca de R$ 3,2 bilhões, incluindo:

  • A duplicação de 7,5km da rodovia estadual BA-528, conhecida como Estrada do Derba;
  • A implantação de via alimentadora Parque de São Bartolomeu, com 7,1 quilômetros/
  • Recuperação de edifício da antiga Fábrica São Brás, fechada em 1959, localizada no bairro de Plataforma, no subúrbio de Salvador;
  • A iluminação pública para o sistema viário e arredores da implantação do VLT.

Os resultados da licitação para a implantação do VLT foram publicados, no dia 4 de junho de 2024, pela CTB. De acordo com o governo, as vencedoras apresentaram o menor preço e atenderam a todos os requisitos estabelecidos no edital, além de possuírem expertises em obras de grande porte.

👉 Para o lote 01, correspondente ao trecho Ilha de São João – Calçada, o Consórcio Expresso Mobilidade Salvador, composto pelas empresas Álya Construtora S.A., Metro Engenharia e Consultoria Ltda., e MPE Engenharia e Serviços S.A, foi o vencedor.

  • Com uma nota final de 100,00, o consórcio apresentou o menor valor entre as concorrentes, totalizando R$ 1.418.231.801,21.

👉 O lote 02, entre Paripe e Águas Claras, foi conquistado pelo Consórcio CETENCO – AGIS – CONSBEM – VLT Salvador, formado pelas empresas CETENCO Engenharia S.A., AGIS Construção S.A., e CONSBEM Construções e Comércio Ltda.

  • Com uma nota final de 96,82, o consórcio apresentou um valor total de R$ 1.084.000.000,00.

👉 Já o lote 03, no trecho Águas Claras-Piatã, foi vencido pelo Consórcio MOTA ENGIL/OHLA/MEIR, composto pelas empresas Mota Engil Engenharia e Construção S.A., Obrascon Huarte Lain S.A., e MEIR Serviços e Construções Ltda.

  • O consórcio alcançou uma nota final de 90,16 e propôs um valor total de R$ 791.427.436,88.

O governo informou que os consórcios formados realizaram a assinatura dos contratos, dentro do prazo legal estabelecido. Após a assinatura da ordem de serviço, ocorrida nesta sexta-feira, será iniciado o projeto e montagem de canteiro de obras, terraplanagem, além de serviços preliminares.

Licitação para implantação do VLT chegou a ficar suspensa

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) determinou, no dia 25 de março, a suspensão da licitação para implantação do transporte.

O processo administrativo para a construção das vias por onde o transporte vai passar foi lançado em dezembro do ano passado, após o Estado decidir romper o contrato com a Skyrail, concessionária que era responsável pelo serviço.

Mesmo com a decisão da justiça, a Companhia de Transportes do Estado da Bahia (CTB), braço técnico da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), deu prosseguimento ao processo de licitação com a assinatura dos contratos. A Companhia informou, por meio de nota, que não foi intimada da decisão e prestaria todos os esclarecimentos necessários.

A empresa afirmou ainda que o edital foi lançado em dezembro de 2023, com fase de perguntas e respostas, além de ampla divulgação.

Segundo a CTB, o recebimento das propostas ocorreu sem intercorrências e sem nenhuma interposição por parte de todas as empresas e consórcios que disputam a licitação. Logo, o processo da licitação prosseguiu.

Procurada pelo g1, a CTB informou que o Tribunal de Justiça da Bahia suspendeu a liminar que impedia o andamento da licitação do VLT. A decisão, assinada pela presidente do TJ, Cynthia Maria Pina, foi publicada no dia 27 de março.

Histórico do VLT

Em Salvador (BA), construção de linha de VLT não sai do papel e deixa milhares de passageiros há 3 anos sem transporte barato — Foto: Jornal Nacional/ Reprodução
Em Salvador (BA), construção de linha de VLT não sai do papel e deixa milhares de passageiros há 3 anos sem transporte barato — Foto: Jornal Nacional/ Reprodução

Os trens do subúrbio foram desativados em 2021 para a instalação do VLT na região. No entanto, as obras não avançaram. A população dos bairros tem sofrido sem essa opção de transporte.

Atualmente, os moradores contam apenas com os ônibus e micro-ônibus que circulam nessa área da cidade, já que o metrô ainda não chega na região.

Os moradores, que gastavam R$ 0,50 pelo serviço nos trens, sentem falta de uma alternativa mais barata de transporte público, já que a passagem do ônibus custa R$ 5,20.

G1/ Foto: Giana Matiazzi/TV Bahia/ Jornal Nacional/ Reprodução

OUTRAS NOTÍCIAS