Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Gilberto se declara ao Bahia, rechaça título de ídolo e evita falar sobre renovação

Gilberto se declara ao Bahia, rechaça título de ídolo e evita falar sobre renovação

Ao marcar duas vezes diante do América-MG, na noite da última quarta, o atacante Gilberto se tornou o maior goleador do clube na história da disputa da Série A, superando Douglas, que defendeu o time na década de 1970. Na equipe desde 2018, o camisa 9 já soma 37 bolas na rede em 94 partidas – seis nesta edição, onde lidera a artilharia do campeonato.

Com a camisa do Esquadrão, o centroavante já conquistou uma Copa do Nordeste, e dois títulos do Campeonato Baiano. Ao todo, são 159 jogos realizados e 74 gols marcados. Perguntado se essas marcas o torna um ídolo do clube, o atacante pontuou as marcas importantes individuais, mas disse que somente o torcedor tem o poder de “coroar” um jogador com o status de ídolo.

“Pergunta complexa. Vou começar pelo final. Se considerar um ídolo, quem tem que falar que é ídolo é o torcedor, não eu. Tenho apenas que continuar fazendo um bom trabalho dentro de campo, que leve o Bahia a conquistar coisas boas, melhorar nos campeonatos. Assim vou ser lembrado. Sobre o restante, é importante. Quando se tem uma marca expressiva de jogos e gols, é sinal de que tudo está indo bem, correndo da melhor forma possível”, disse em entrevista nesta sexta-feira.

Durante a entrevista, o atacante, segundo o atacante, mais uma vez, declarou seu amor ao Bahia.

“O clube em que mais joguei, o clube que mais fiz gol, que a torcida me dá todo carinho e atenção, também puxa um pouquinho minha orelha quando erro. É um clube que merece ser respeitado, merece todo meu carinho, toda minha atenção e todo meu amor. Tenho que seguir fazendo meu trabalho aqui para ser reconhecido futuramente”.

Questionado sobre sua permanência na próxima temporada, o atacante tem contrato até o fim de 2021 e negocia permanência. Segundo ele, não é momento de discutir o assunto.

“Minhas metas pessoais não são importantes para mim, no sentido de colocar à frente do clube. Coloco sempre as metas do clube. O Bahia tem possibilidade de chegar no título de um campeonato específico, que é a Copa do Brasil. Temos jogos extremamente difíceis, mas podemos alcançar. Vamos lutar, temos que nos colocar à disposição, com o Bahia, o que vier pela frente”.

O Tricolor retorna a campo com o Bahia neste domingo, contra a Chapecoense, na Arena Condá. A partir está marcada para as 11h (horário de Brasília).

Informações: Bnews

OUTRAS NOTÍCIAS