Garoto de programa é preso após matar arquiteto e fazer selfie no espelho da casa da vítima

jose-henrique-3

O garoto de programa preso por matar um arquiteto fez uma selfie no espelho da casa da vítima após matá-la, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, José Henrique, suspeito, usou o corpo da vítima para fazer reconhecimento facial em um aplicativo de banco.

Até a última atualização desta reportagem, o g1 não conseguiu contato com a defesa do suspeito.

José Henrique, de 22 anos, foi preso em flagrante na última segunda-feira (25). Segundo a Policia Civil, os policiais foram acionados pelo setor de segurança do banco após receberem fotos da tentativa de validação em que um braço aparecia erguendo o rosto da vítima.

Entenda o caso

 

De acordo com os relatos da Polícia Civil, ao ser abordado, José Henrique mentiu a identidade, mas os policiais descobriram o verdadeiro nome e identificaram que o jovem era suspeito outros crimes, como furto e estelionato. Os policias levaram o suspeito até o apartamento da vítima, junto com uma zeladora do prédio onde ocorreu o crime.

No apartamento foram encontradas as chaves e a porta da suíte trancada. Após arrombarem a porta da suíte, o corpo da vítima foi encontrado no banheiro, com um crucifixo na mão e uma corda em volta do pescoço. Segundo a Polícia Civil, a cena foi forjada pelo suspeito do crime para simular um suicídio.

Após encontrarem o corpo, a polícia informou que o José Henrique confessou ter matado o idoso e efetuado tentativas de transferências por PIX para a sua conta bancária pessoal de valores acima de R$ 60 mil, usando o cartão da vítima. Cerca de R$ 4 mil do idoso foram gastos com itens como relógios e celulares.

As compras utilizando o cartão da vítima foram feitas em um camelódromo do Setor Campinas. De acordo com a investigação, o suspeito ainda confessou que após as compras, voltou ao local do crime para simular o encontro do corpo do idoso, para acionar a polícia sobre um suposto suicídio, o que não foi feito, pois o suspeito foi abordado em frente ao prédio da vítima.

G1

OUTRAS NOTÍCIAS