Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Funkeiro é acusado de agredir ex-mulher: “me bateu e botou um funcionário para me bater”

Funkeiro é acusado de agredir ex-mulher: “me bateu e botou um funcionário para me bater”

Na manhã desta quarta-feira (22), mais um caso de agressão contra à mulher envolvendo famosos veio à tona. A ex-mulher do DJ Marlboro, identificada como Renata Nunes, acusa o artista de agredi-la na frente do filho do casal, de 12 anos, que ela tenta reaver a guarda depois de perder contato com a criança por dois anos.

Segundo informações divulgadas pela colunista Fábia Oliveira, do site Em Off, ela afirma que o DJ estaria supostamente a proibindo de ter contato com o filho, o que acabou em agressão na mais recente tentativa de buscar o garoto para passar férias com ela. De acordo com a publicação, Renata – que recentemente acusou o DJ de alienação parental- diz que foi agredida na portaria do condomínio de Marlboro.

“Eu iria pegar ele em todas as férias enquanto aguardava o juiz responder, até porque ele está sendo maltratado na casa do pai e eu quero a guarda do meu filho de volta. Quando fui buscar meu filho na porta do condomínio dele, na segunda-feira, eu fui agredida. Ele me bateu, botou um funcionário para me bater também e eu registrei um boletim de ocorrência”, conta.

Renata relata ainda que precisou se refugiar em um posto de gasolina para escapar das agressões, mas que foi perseguida pelo DJ e agredida novamente no loca. “Estou aguardando o posto de gasolina me mandar as imagens da agressão, porque eu acabei fugindo da portaria depois que ele tomou a chave do meu carro no meio dessa agressão. Acabei fugindo do meu filho, entrei num carro de um desconhecido dentro de um posto de gasolina em frente ao condomínio dele para poder fugir daquela situação de agressão e ir para a delegacia. Ele tentou me tirar de dentro do carro desse moço pelos cabelos. De vários jeitos. O posto tem essa filmagem”, afirma.

A vítima conta que o caso foi registrado na delegacia, onde passou por constrangimento, mas que ainda assim conseguiu uma testemunha a seu favor. “Parece mesmo que está todo mundo comprado lá. E a testemunha que me socorreu para me levar até a delegacia falou que não viu ele puxando meu cabelo. Só que eu peguei o frentista do posto, que junto com esse cara do carro me tirou da agressão, e ele depôs ao meu favor falando que realmente o Fernando tentou me tirar de dentro do carro de várias maneiras, inclusive me puxando pelos cabelos”, disse.

Informações: Metropoles

OUTRAS NOTÍCIAS