Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Fisiculturismo ganha espaço em Feira de Santana e jovem competidor é vice-campeão baiano

Fisiculturismo ganha espaço em Feira de Santana e jovem competidor é vice-campeão baiano

13100668_920378064745401_4467580557964798752_n

O fisiculturismo é um esporte que sempre chamou muita atenção pela forma escultural em que os atletas precisam ficar para competir. Os atletas, que são até chamados de “marombeiros”, por serem extremamente fortes, mudam totalmente a rotina e a alimentação para alcançar seus objetivos. Em Feira de Santana, existem várias pessoas que aderiram ao esporte, porém o destaque esta sendo o jovem João Lucas dos Santos Cerqueira Neri, de 21 anos. Ele se interessou após começar a malhar e gostar da evolução de seu corpo, além de se inspirar em outros competidores.

12079491_806194309497111_1568133109937536377_n

João Lucas conta que para a categoria pela qual ele compete o atleta deve ter o corpo no formato de um V que seria cintura fina e ombros largos. Outro fator importante para os praticantes do fisiculturismo é a aparência, tanto que o competidor é maquiado para as apresentações, sendo assim ele já chegou a ser vice-campeão baiano pela sua categoria”.

10404491_755611077888768_3808164737956401137_n

“São avaliados alguns itens nas competições, dentre os exigidos estão: definição aparente, o corpo ideal para cada categoria, presença de palco, beleza, carisma e algum diferencial, já que os corpos são bem parecidos e todos os atletas se encontram no mesmo patamar”, informa.

Sobre as mudanças que ele teve que fazer para se adequar ao esporte ele fala que mudou tudo. “Quando você decide competir no fisiculturismo, você tem que viver 24 horas o esporte: alimentação, dieta e treino”, detalhou.

Umas das coisas que mais mudam é a alimentação. Os atletas comem em quantidades maiores, porém os alimentos são regrados.  A alimentação de um competidor é extremamente rígida.

João é estudante de Educação Física e garante que essa graduação contribui para a sua evolução. “Aprendemos a treinar melhor de maneira que chegamos ao resultado final sem danos ao corpo e com responsabilidade”.

OUTRAS NOTÍCIAS