Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Filho de Gugu Liberato quer carreira na televisão

Filho de Gugu Liberato quer carreira na televisão

João Augusto, de 20 anos, tem inteção em seguir a carreira do pai, Gugu Liberato [1959-2019], na televisão. Em entrevista ao “Domingo Espetacular”, no último fim de semana (21), ele falou sobre o assunto. “Eu gosto bastante e, quando era criança, adorava quando ele me chamava no palco”, disse o rapaz, que atualmente se divide entre as faculdades de administração e comunicação, isso tudo enquanto gerencia o patrimônio da família.

Residente nos Estados Unidos, João confessa que assumiu muitas responsabilidades após a partida de seu pai, que morreu vítima de um acidente doméstico . “Esses dois anos sem meu pai tem sido bem difíceis. Durante o dia, eu começo a lembrar das coisas que passamos juntos e bate uma saudade”, contou. “Ele se comunicava bem, mas tinha uma vergonha que eu também tenho. Ele era muito carismático, sabia aparecer para o público, então virava outra pessoa quando deixava o camarim. Eu admiro isso”, continuou o rapaz.

Em entrevista à revista eletrônica da Record TV, o rapaz também abordou a briga com as irmãs, Sofia e Marina, em relação à herança estimada em R$ 1 bilhão. “A família está unida. Foi uma perda muito grande. O que bateu para mim, bateu para elas. A gente chorou juntos, passou por momentos difíceis juntos, não tem como dizer quem sentiu mais”, pontuou ele.

Este ano, João e suas irmãs se uniram para lançar uma campanha de incentivo de doação de órgãos. Como principio da ação, ele relembrou que seu pai era doador e salvou a vida de cerca de 50 pessoas depois que a morte cerebral foi constatada. “A gente quer lançar uma corrente do bem, em que as pessoas escrevem 50 vidas na palma da mão e gravam um vídeo convidando um amigo a fazer o mesmo. Nós vamos repostar todos”, explicou ele, que fazer jus ao legado paterno. “A coisa que mais aprendi com meu pai foi a ser uma pessoa do bem, responsável e humilde, como ele era. Se estivesse vivo, a gente iria conversar sobre muitas coisas, sobre a faculdade, sobre a minha namorada. Eu tenho fé que ele está com Deus e, de onde estiver, está me olhando”, encerrou João.

OUTRAS NOTÍCIAS