“FGV deu nota em algo que não existia”, diz Jerônimo sobre última colocação da Bahia em educação à distância

jeronimorodrigues_paulomazevedo_bnews_widelg_widelg_widelg

O pré-candidato ao governo baiano e ex-secretário de Educação, Jerônimo Rodrigues (PT), discordou nesta sexta-feira (27) de pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que colocou o estado na última posição de educação à distância, no período da pandemia. A discordância foi feita em sabatina realizada pelo jornal Folha de S. Paulo e o portal Uol.

“Nesse último lugar em ranking do ensino a distância, existe um equívoco da FGV. A verdade é que não aconteceu um ensino à distancia no estado, por motivos como a falta de infraestrutura de internet e acesso aos computadores, que afetou os 850 mil estudantes da rede. A FGV deu nota em algo que não existia. Nós optamos por enviar o material e estudo para os estudantes”, disse Jerônimo.

No estudo em questão, feito pela FGV durante a pandemia, em fevereiro de 2021, a Bahia tirou nota 0 no Índice de Educação à Distância. Salvador, no entanto, ficou em primeiro lugar entre as capitais brasileiras, com nota 5, superior à média das demais cidades, de 1,59.

Ao ser questionado sobre a discrepância com a capital baiana, Jerônimo voltou a atacar a gestão do ex-prefeito ACM Neto. “A prefeitura de Salvador não cuidou da educação infantil, não tem creche. Todas são comunitárias. O governo assumiu a educação do fundamental II. Se não fosse o estado, 70 mil estudantes estariam fora da escola. Isso também precisa ser considerado”, disparou.

OUTRAS NOTÍCIAS