Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Feirense supera dificuldades, volta competir e conquista Brasileiro de jiu-jitsu

Feirense supera dificuldades, volta competir e conquista Brasileiro de jiu-jitsu

O atleta feirense de jiu-jitsu, Marlos Vandré Silva Viana conquistou no último sábado (7), a medalha de ouro da categoria Master 2 – faixa preta – peso pena, do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu 2022. A competição aconteceu no Ginásio José Corrêa, em Barueri, São Paulo. O evento nacional foi realizado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ).

Marlos que faz parte da equipe Corpo e Mente, iniciou a trajetória no jiu-jitsu aos 16 anos e mesmo na época com pouco tempo praticando a arte suave, Marlos disputou o primeiro campeonato, não conquistou a vitória, mas ganhou experiência e a convicção de continuar competindo.

Entre 17 e 18 anos, Marlos começou a treinar na equipe Corpo e Mente, com o mestre Humberto Tavares (faixa coral de Jiu-jitsu). Logo o jovem atleta se destacou dentro da equipe, pois passou a ganhar todas as competições que participou como faixa branca. Em um ano Vandré passou para a faixa azul conquistando vários títulos incluindo o bicampeonato baiano, terceiro colocado no Norte-Nordeste e o segundo lugar na Copa do Mundo de Jiu-jitsu (CBJJO). Passados dois anos, Marlos recebeu a faixa-roxa.

O atleta feirense continuou disputando vários campeonatos e entre os principais estavam os títulos de campeão baiano em três federações diferentes e o terceiro lugar no Mundial de Jiu-jitsu (CBJJE).

Momento difícil

Na faixa-marrom, devido a problemas pessoais, Marlos ficou afastado por um ano do jiu-jitsu. “Foi o meu pior momento dentro do esporte, sou apaixonado e nunca fiquei tanto tempo longe do dojô (lugar de treinamento). Graças a Deus esse período passou e retornei aos treinos e competições conquistando mais alguns campeonatos e recebendo a tão esperada faixa-preta. Lembro que minha estreia como faixa-preta foi bastante legal, enfrentei em uma competição um lutador que admiro muito e o ganhei por finalização, foi incrível. Na faixa preta ainda na categoria adulto, conquistei vários títulos, alguns como o Mundial, fiz a semifinal com ninguém menos que o múltiplo campeão Mundial Mário Reis, o cara ganhou o primeiro título mundial quando eu era faixa-branca. Lembro que tinha uma revista com ele na capa, apesar de ter perdido, fiquei muito feliz por ter lutado com ele. Disputei também um Pan-americano, competição a qual lutei com dois lutadores bem famosos da época, Gabriel Marangoni e outro Paulo Miyao, venci o Gabriel, mas perdi para o Paulo, mesmo assim fiquei feliz em ter sido vice-campeão no Pan”, contou.

A preparação

Em entrevista a reportagem do jornal Folha do Estado, o atleta Marlos Vandré contou como foi a preparação para a disputa da competição nacional. “Diferente do que havia feito em outras competições, busquei apoio dos melhores profissionais na área de preparação física, nutrição e psicologia do esporte. A parte física ficou por conta do profissional de educação física Maurício Morais, na parte de nutrição, contei com umas das melhores em nossa região, como estava cerca de 12kg a mais da categoria que costumava lutar, a Dr. Geralda Rodrigues fez esse excelente trabalho e uns dias antes da competição, já estava no peso. Por fim, e não menos importante, iniciei no método De Rose com a professora Juliana Xavier, o trabalho dela consiste em aprimorar minhas capacidades físicas e mentais melhorando assim minha performance na competição”, disse.

As dificuldades

Mesmo com todo talento, o atleta feirense pensou em parar de competir. “Um pouco antes da pandemia, havia decidido parar de competir e focar mais nas aulas como professor. Tenho minha equipe junto ao Sensei Alexandre Lima, grande atleta, nós ministramos aulas para crianças e adultos na academia Gladius. No final de 2021, voltei a pensar em competições, acho que não consegui ficar muito tempo sem sentir a adrenalina de sair na porrada e decidi cumprir uma promessa que fiz a mim mesmo logo no início ser campeão brasileiro pela CBJJ”, afirmou.

“As dificuldades foram mais relacionadas ao fato de estar há muito tempo sem competir, o peso a mais, o resto fui contando com a ajuda de meus pais e esposa para conseguir concluir as metas. Ter o suporte desses profissionais e da família foi o fator determinante do meu sucesso. Agora com esse título, vou tentar conquistar as outras três principais competições da IBJJF que são o Europeu, Pan-americano e Mundial Master”, concluiu.

A conquista

Marlos Vandré também contou a respeito da conquista da medalha de ouro no Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu. “Essa competição que lutei é das mais difíceis do mundo, só tive a oportunidade de participar desse evento três vezes, nas duas primeiras conquistei o terceiro lugar, fiz seis lutas na primeira vez e cinco na segunda, fiquei bastante satisfeito, mas o plano era ser Campeão. Hoje posso dizer que Feira de Santana tem o melhor faixa-preta do Brasil na minha categoria. Ser campeão Brasileiro de Jiu-Jitsu pela CBJJ era sem dúvida um sonho e eu realizei”.

“Para aqueles que estão iniciando agora na arte suave e tem o sonho de também serem campeões, deixo o seguinte recado: nunca deixem de acreditar em seu sonho, mas façam por onde conquistá-lo. Não é fácil e requer 100% da sua dedicação e energia. Nada na vida vem fácil, principalmente nossos sonhos, precisa ser forte, focado e inteligente”, finalizou. 

OUTRAS NOTÍCIAS