Feira registra baixa procura por vacina bivalente

11042023161457

Em Feira de Santana, a procura pela vacina bivalente contra a Covid-19 ainda é baixa. Até esta segunda-feira (10), das 40.182 doses recebidas, 12.323 foram aplicadas – número que corresponde a 30,6%. O alerta é da Secretaria Municipal de Saúde.

“Estamos em uma época sazonal, favorável para a circulação dos vírus respiratórios, a exemplo da Covid-19. É importante que a população se dirija até os postos de saúde para se vacinar. A Micareta está chegando e nela ocorrem muitas aglomerações. Não podemos deixar que uma doença imunoprevenível estrague a diversão de quem está há três anos esperando esse momento para curtir na avenida”, ressaltou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Carlita Correia.

Fora os idosos a partir dos 60 anos, todos os demais grupos prioritários devem ter idade mínima de 12 anos. São eles: gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades (confira lista no final da matéria) ou com deficiência permanente, população privada de liberdade, adolescentes cumprindo medidas socioeducativas e pessoas que estão inseridas em instituições de longa permanência, residência inclusiva e seus trabalhadores, imunocomprometidos, indígenas, ribeirinhos e quilombolas.

Para ser imunizado, a pessoa interessada, que se enquadra nesses grupos prioritários, deve apresentar documento de identificação com foto, cartão SUS e caderneta de vacinação. Outro critério é ter recebido, ao menos, duas doses respeitando o intervalo de quatro meses após a última aplicação. Também é válido destacar que a imunização de crianças e adolescentes é feita somente na presença dos pais ou responsável legal.

A vacina continua disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades de Saúde da Família (USFs), de segunda a sexta-feira. À noite, a imunização também pode ser realizada nas USFs vinculadas ao Programa Saúde na Hora, com funcionamento ampliado até as 20h30.

Comorbidades liberadas para vacinação:

Diabetes mellitus;

 

 

 

Pneumopatias crônicas graves;

Hipertensão Arterial Resistente (HAR);

Hipertensão arterial estágio 3;

Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo;

Insuficiência cardíaca (IC);

Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar;

Cardiopatia hipertensiva;

Síndromes coronarianas;

Valvopatias;

Miocardiopatias e Pericardiopatias;

Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;

Arritmias cardíacas;

Cardiopatias congênita no adulto;

Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados;

Doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares;

Doença renal crônica;

Hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves;

Obesidade mórbida;

Síndrome de Down e outras Síndromes genéticas;

Doença hepática crônica.

SECOM

OUTRAS NOTÍCIAS