Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Feira de Santana tem aumento significativo em casos de Chikungunya

Feira de Santana tem aumento significativo em casos de Chikungunya

De acordo com informações do Centro de Endemias de Feira de Santana, foi registrado em 2020 um alto índice de doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypt.

Entre as três doenças associadas ao mosquito como a Dengue, Chikungunya e Zika, a Chikungunya encabeçou o número de casos confirmados no município com 4.274 confirmações de um total de 5.674 casos notificados.

‘Durante o ano a gente viu a taxa de transmissão dessa arbovirose bem maior por conta da frequência de casos na cidade e por isso tivemos um número maior desses casos. O mosquito criou resistência a algum determinado tipo de inseticida e larvicida e por conta disso fica mais difícil para o controle do Aedes’, afirma o agente de endemia do setor de estatísticas Nelson Rodrigues.

Já a Zika foi a doença com menor número de casos notificados e confirmados, sendo 90 notificações e 45 confirmações. A Dengue teve durante o ano 6.160 notificações e confirmou 2.997 delas.

‘A recomendação é ficar mais atento aos bloqueios, intensificar a visitação, no intuito de tirar os possíveis criadores do mosquito. Temos um novo larvicida que demonstra mais eficácia e um novo inseticida para atuar com um poder residual em pontos estratégicos’, pontua o agente de endemia.

Segundo informações do Centro de Endemias, os bairros Brasília, Tomba, Feira X, Campo Limpo, Parque Ipê, Mangabeira, Aviário, Conceição e Papagaio são os locais com maior número de notificações e casos confirmados das doenças causadas pelo Aedes.

‘O morador deve continuar fazendo a sua parte e ficar atento aos focos de mosquito para evitar o contágio’, diz.

OUTRAS NOTÍCIAS