Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Feira de Santana sobe 24 posições em ranking nacional de empreendedorismo

Feira de Santana sobe 24 posições em ranking nacional de empreendedorismo

O município de Feira de Santana saltou 24 posições no relatório Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), elaborado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), instituição de governo vinculada ao Ministério da Economia, com a colaboração da Endeavor, rede formada por empreendedoras e empreendedores à frente das empresas que mais crescem no mundo. O relatório foi divulgado na última quarta-feira (16).

O segundo maior município da Bahia saiu da 92º posição do ICE 2020 para o 68ª lugar no ICE 2022, com a pontuação de 5,53073. Em 2020, pontuou 4,752004. O Índice é elaborado a partir de dados que compõem sete indicadores, com informações das 100 cidades mais populosas do Brasil.

Na Bahia, além de Feira de Santana – 624.107 habitantes, Salvador [6,21640] (39º) – população de 2.900.319 pessoas, Vitória da Conquista [5,01042] (87º) – 343.643 habitantes e Camaçari [5,00965] (88º) – 309.208 habitantes, estão no relatório. A pesquisa é o principal raio-X do ambiente de negócios no Brasil. Dominam o top 10, cidades do Sul-Sudeste do país, com liderança para São Paulo [9,28724] (1º), Florianópolis [8,49622] (2ª) e Curitiba [8,16874] (3º).

INDICADORES

Compõem o índice sete indicadores: ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso a capital, inovação, capital humano e cultura empreendedora. O indicador que Feira de Santana mais se destaca é o ambiente regulatório, que segundo a pesquisa, quanto maior o grau de complexidade burocrática e os valores de taxas e tributos locais, menores são os incentivos para abertura de novos negócios. Neste quesito, Feira de Santana ficou na 38ª posição, com pontuação de 6,1980. Esse indicador avalia pontos como tempo de processos, tributação e complexidade burocrática.

Outro indicador que Feira de Santana desempenha bem é cultura empreendedora, na 43ª colocação com 5,9284. Para este quesito, a pesquisa considera que uma comunidade que apresente uma cultura empreendedora fortalecida é capaz de compreender e usufruir de novas oportunidades, gerando fortes vantagens competitivas. Pesquisas pelo termo empreendedor, MEI e de instituições como Sebrae e Senac, interesse por conhecer sobre franquias e o Simples Nacional são avaliados, com pesquisas as métricas fornecidas pelo Google Trends.

Mesmo com a melhora da posição geral do estudo, há indicadores em que Feira de Santana não desempenha bem. O indicador infraestrutura, por exemplo, que avalia segmentos como condições urbanas, conectividade via rodovias, número de decolagens por ano, distância ao porto mais próximo, acesso à internet rápida, preço médio do metro quadrado, custo da energia elétrica e taxa de homicídios, o município aparece em 93º lugar, com 4,6792 pontos. Já no indicador mercado, Feira de Santana ficou na 90ª posição, com 4,8413. Esse é um quesito que envolve um panorama econômico do município, como índice de desenvolvimento humano, crescimento médio real do PIB, número de empresas exportadoras com sede na cidade, clientes potenciais, PIB per capita, proporção entre grandes/médias e médias/pequenas empresas e compras públicas.

Nos outros indicadores, como Acesso a capital de investimento, por exemplo, a cidade ficou na 60º lugar, 5,6448, Inovação, em 80ª lugar, com 5,0387 pontos e capital humano, na 63ª posição com 5,6007 pontos.

Informações: Folha do Estado

OUTRAS NOTÍCIAS