Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Feira de Santana: mulher teria matado companheira a facadas

Feira de Santana: mulher teria matado companheira a facadas

O crime que vitimou Maxilaine Silva Oliveira, de 33 anos, foi tipificado como feminicídio. Ela foi agredida com golpes de faca no dia 18 de outubro, na Rua Montes Claros, no bairro Rua Nova, em Feira de Santana, e socorrida para o Hospital Geral Clériston Andrade, onde morreu na última sexta-feira (20).

Segundo o delegado Rodolfo Faro, titular da Delegacia de Homicídios, a companheira da vítima é suspeita do crime.

“A princípio a gente tem informação de que tenha sido a companheira, foi uma tentativa de homicídio praticado por arma branca que ocorreu em outubro. A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) foi a responsável pelo início das investigações, mas com a morte dela essas investigações vão ser encaminhadas aqui para a Delegacia de Homicídios”, disse.

O delegado informou também que o motivo pode ter sido passional.

“O motivo teria sido passional, ciúmes. A gente agora vai aguardar o encaminhamento desse inquérito para que nós possamos concluir as investigações e encaminhar a justiça”, disse o delegado que não passou outros detalhes para não atrapalhar as investigações. A suspeita será intimada para prestar depoimento.

Homicídios da Véspera do Natal e Natal

Sobre os homicídios registrados durante os festejos natalinos, o delegado informou ao Acorda Cidade que as investigações já iniciaram e que dois suspeitos do assassinato ocorrido durante a festa de rua com paredões de som no bairro Campo Limpo, já foram identificados.

“Um desses crimes já temos informes de quem teria sido os autores. Estamos diligenciando, nesse momento, no sentido de localizar esses dois indivíduos que foram os autores da morte de Danilo dos Santos Bezerra. Houve também assassinato de Leandro da Silva Pereira, no bairro Conceição, e José Carlos Oliveira Pinheiro, no bairro Mangabeira, cujas investigações estão também na fase inicial de diligência, na coleta de informações e de identificação de testemunhas”, informou.

O delegado informou também que apesar do número alto de homicídios registrados neste ano, o índice é menor que em 2018.

“Sim, são número altos, a Delegacia de Homicídios junto com outros órgãos de polícia tem trabalhado no sentido para que diminua. Existe o Pacto pela Vida, que é um programa estadual que incentiva esse tipo de investigação para que nós possamos diminuir esses números, mas apesar do número alto, estamos com menos em relação ao ano passado, então a gente com certeza fechará o ano com número menor de homicídios”, disse.

Fonte: Acorda Cidade

OUTRAS NOTÍCIAS