Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Ex-Presidente da França, Nicolas Sarkozy é condenado a 3 anos de prisão

Ex-Presidente da França, Nicolas Sarkozy é condenado a 3 anos de prisão

Ex-presidente francês foi condenado por corrupção e tráfico de influência e se tornou o 1º ocupante do Palácio do Eliseu a ser sentenciado à prisão, mas pode recorrer da decisão.

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy foi condenado nesta segunda-feira (1º) a três anos de prisão por corrupção e tráfico de influência e se tornou o primeiro ocupante do Palácio do Eliseu a ser condenado à prisão.

A sentença foi dada em um caso de suborno a um juiz pelo ex-presidente em troca de informação privilegiada sobre uma investigação da campanha presidencial de Sarkozy na França. O ex-presidente pode recorrer da sentença.

Apesar da condenação, o Tribunal Correcional de Paris decidiu que dois dos três anos da sentença estão isentos de cumprimento e o terceiro ano da condenação pode ser convertido em prisão domiciliar ou vigilância com o uso de tornozeleira eletrônica.

O tribunal condenou o advogado do ex-presidente, Thierry Herzog, a uma sentença semelhante e o impediu de exercer a advocacia por cinco anos. O magistrado Gilbert Azibert, então membro do Supremo Tribunal com quem Sarkozy teria feito contato em busca de informação privilegiada, também foi condenado.

A investigação começou após conversas telefônicas entre Sarkozy e o advogado dele, obtidas pela polícia em 2014, revelarem o contato com Azibert para obter informações em um processo contra o ex-presidente.

A sentença aponta que o caso tem “gravidade particular” em razão de ter sido cometido por um ex-presidente, que “usou seu cargo e seus relacionamentos” para “seu interesse pessoal”.

Sobre Azibert, a condenação diz que o magistrado “desacreditou uma profissão cuja função é básica na democracia”.

A condenação histórica de Sarkozy ocorre duas semanas antes da abertura de um outro processo contra o ex-presidente francês, de supostas irregularidades no financiamento de sua campanha para a eleição presidencial de 2012.

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS