Ex-diretor da PRF Silvinei Vasques é preso pela Polícia Federal devido a blitz realizada no segundo turno

A Polícia Federal (PF) prendeu o ex-diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques, na manhã desta quarta-feira (9) por suspeita de interferência nas eleições presidenciais. Segundo a PF, integrantes da PRFl teriam direcionado recursos humanos e materiais com o intuito de dificultar o trânsito de eleitores no segundo turno.

O Globo teve acesso ao inquérito, de acordo com o documento, os crimes apurados teriam sido planejados desde o início de outubro daquele ano, sendo que, no dia do segundo turno, foi realizado patrulhamento ostensivo e direcionado à região Nordeste do país.

Nesta operação, os agentes cumprem ainda 10 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Rio Grande do Norte. A operação conta com o apoio da Corregedoria Geral da PRF, que determinou ainda a oitiva de 47 policiais rodoviários federais.

A PF informou em nota que os fatos investigados podem responder pelos crimes de prevaricação e violência política, previstos no Código Penal Brasileiro, e os crimes de impedir ou embaraçar o exercício do sufrágio e ocultar, sonegar, açambarcar ou recusar no dia da eleição o fornecimento, normalmente a todos, de utilidades, alimentação e meios de transporte, ou conceder exclusividade dos mesmos a determinado partido ou candidato, do Código Eleitoral Brasileiro.

Bnews

OUTRAS NOTÍCIAS