Estudo aponta que valor da carne pode cair 4% em 2023

b2ap3_large_Artigo-Destaque_01230003_00

O valor de mercado da carne pode cair 4% em 2023 revela estudo do Santander. De acordo com a levantamento, esse cenário positivo não tem a ver com ações do governo, mas sim com o chamado ciclo do gado. O salto na quantidade de abates mensais elevará tanto a oferta de carne no país que a arroba deve chegar a um preço de R$ 240 no final do ano, menor valor desde junho de 2019.

De acordo com explicação dos economistas Felipe Kotinda, Daniel Karp e Gabriel Couto, o ciclo do gado dura em média entre cinco e seis anos, durante um determinado momento, o preço do gado está elevado. Quando isso acontece, o preço dos bezerros também sobe, já que os produtores vão investir nos seus rebanhos comprando mais animais. Já as vacas não serão abatidas (pois dão luz a bezerros).

Com a alta de preços, produtores se dedicam à criação de gado. Assim, o estoque de bezerro tender a crescer, o que provoca a queda dos preços. Quando isso acontece, os produtores reduzem seus rebanhos e aumentam o abatimento das vacas, elevando o fornecimento de carne e fazendo os preços caírem. Mas menos vacas dão à luz menos bezerros, o preço volta a subir e o ciclo recomeça.

Na projeção apresentada, em dezembro o abate de gado alcançará cerca de 700 mil cabeças por mês, a maior quantidade desde junho de 2020. Com a oferta bem maior, o valor da arroba cairá ao menor patamar desde 2019, e se os preços da carne ao consumidor se comportarem como na média histórica, terão espaço para cair 4% dentro do IPCA. 

Folha do Estado

OUTRAS NOTÍCIAS