Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Estroinas: PF deflagra operação para investigar fraude em licitação de R$ 2,3 milhões

Estroinas: PF deflagra operação para investigar fraude em licitação de R$ 2,3 milhões

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Estroinas, na manhã desta quinta-feira (20), que investiga fraudes em nove procedimentos de dispensa de licitação feitos pela prefeitura de Carmópolis, no Leste Sergipano, envolvendo R$ 2,3 milhões em recursos destinados para o combate da covid-19.

Durante a ação, 83 policiais federais e seis servidores da Controladoria-Geral da União (CGU) cumprem 32 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

A operação cumpre 15 mandados em Carmópolis (SE), nove em Aracaju (SE), dois em Nossa Senhora do Socorro (SE), dois em Pernambuco, dois em Alagoas e dois na Bahia.

Os suspeitos podem responder por suposta prática dos crimes de dispensa indevida de licitação, corrupção passiva e corrupção ativa.

A investigação apontou que R$ 2,3 milhões provenientes do Sistema Único de Saúde (SUS) foram gastos para a contratação direta de nove empresas e identificou-se a existência de fortes de indícios de empresas são “fantasmas”; sócios de algumas delas são “laranjas”; escolhas das empresas contratadas foram arbitrárias; cotações dos preços dos bens, insumos e serviços contratados pela prefeitura foram fraudulentas; e superfaturamento dos bens, insumos e serviços contratados.

Além disso, a polícia também apontou que alguns dos bens adquiridos para o enfrentamento da pandemia nem sequer foram utilizados; não houve critério para a definição da quantidade e da qualidade dos produtos que precisariam ser adquiridos pela prefeitura, e que parte dos produtos contratados não foi efetivamente fornecida à prefeitura.

Nome da operação
A operação foi batizada de “Estroinas” como uma referência à forma pela qual o dinheiro público foi gerenciado em Carmópolis.

OUTRAS NOTÍCIAS