Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Espanha vai dar 250 euros por mês para ajudar jovens a pagar casa própria e 400 euros para gastar com cultura

Espanha vai dar 250 euros por mês para ajudar jovens a pagar casa própria e 400 euros para gastar com cultura

Medida destina-se a cidadãos entre os 18 e os 35 anos e pretende “reduzir a idade da emancipação” no país, justificou o primeiro-ministro, Pedro Sánchez

Espanha vai criar um apoio mensal de 250 euros para ajudar os jovens entre os 18 e os 35 anos a pagar os custos de uma habitação. A medida foi anunciada pelo primeiro-ministro: “Trata-se de algo inédito, que vai construir uma garantia sólida, completa e transversal dos direitos sociais”, disse em Sevilha, durante o I Fórum Urbano de Espanha, citado pelo El Mundo.

A medida destina-se aos jovens de famílias vulneráveis que ganhem menos de 23.725 euros por ano e vai estar em vigor durante os próximos dois anos. O objetivo do Executivo é que estes cidadãos tenham capacidade financeira para saírem da casa dos pais: “Vamos destinar uma política pública para reduzir a idade da emancipação tão insuportavelmente alta no nosso país para que os jovens consigam aceder a uma casa arrendada digna com o apoio e a ajuda da Administração Geral do Estado”, sublinhou Sánchez, também líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

Segundo o governante, este apoio financeiro pode cobrir cerca de 40% das despesas de aluguer quando complementado com outras ajudas sociais já em vigor. “Será importante para ajudar os jovens a emanciparem-se”, reforçou Félix Bolaños, ministro da Presidência espanhol.

O partido Unidas Podemos (UP), parceiro de coligação no governo juntamente com o PSOE, preferiu não comentar a medida para já: Ione Belarra, ministra dos Direitos Socais e líder do UP, garantiu não ter sido avisada mas prometeu que vai estudá-la “em detalhe” antes de se pronunciar.

Pedro Sánchez anunciou outra medida destinada aos jovens que fazem 18 anos: um apoio de 400 euros para consumir cultura, tal como já existe em Itália ou França. De acordo com o governante, este valor serve para os jovens gastarem “na compra de livros ou para o consumo de qualquer tipo de atividade artística, cénica, como podem ser o teatro o cinema, a dança ou a música”.

As touradas ficam de fora deste apoio: “Queremos ajudar a indústria cultural e há que priorizar quais são os sectores e é por isso que a tauromaquia fica fora destes apoios, com a independência de que seja um elemento cultural contemplado em diferentes legislações”, explicou María Jesús Montero, ministra das Finanças. A decisão gerou um “enérgico mal-estar” junto da Associação Nacional de Organizadores de Espetáculos Taurinos.

Informações: Expresso

OUTRAS NOTÍCIAS