Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Entenda por que o touro é considerado símbolo do mercado financeiro

Entenda por que o touro é considerado símbolo do mercado financeiro

A B3 inaugurou no centro histórico de São Paulo, uma escultura chamada Touro de Ouro, inspirada no Touro de Wall Street, que fica no centro financeiro de Nova York. Mas o que esse animal tem a ver com o mercado financeiro?

No mercado financeiro, o touro representa “otimismo e a força dos investidores”.

A origem dessa metáfora está numa expressão usada no mercado financeiro para se referir ao movimento de alta nos papéis, quando os preços estão subindo: “bull market” (mercado do touro, em tradução livre).

O termo “bull market” traduz um momento de mercado em ascensão, quando os investidores estão otimistas. Pense na chifrada de um touro. O animal usa os chifres para ‘jogar’ a vítima para o alto, e o ataque é de baixo para cima, certo?

É uma tradição no mundo da bolsa de valores associar os movimentos dos mercados a dois animais: o touro e o urso, que deram origem às expressões “bull market” e “bear market” (mercado do urso) e refletem a forma como esses animais atacam suas presas.

Basicamente, o primeiro quer dizer que o preço das ações está subindo, enquanto que o urso simboliza o mercado em queda, uma vez que o seu ataque é de cima para baixo.

Em 2017, foi instalada em Wall Street a estátua de uma menina 'encarando' o touro para celebrar o Dia da Mulher. — Foto: Brendan McDermid/Reuters

Símbolo de Wall Street

O que popularizou mesmo a figura do touro como símbolo do mercado de ações foi a escultura do famoso touro de bronze instalada perto da Bolsa de Valores de Nova York. A imagem se transformou num símbolo de Wall Street.

Intitulada “Charging Bull”, a estátua de 3,2 toneladas foi criada pelo escultor siciliano Arturo Di Modica, que faleceu em fevereiro de 2021. A obra foi financiada de seu próprio bolso, com custo estimado de mais de US$ 350 mil. O artista colocou a escultura em frente à Bolsa de Valores no meio da noite, ilegalmente.

Di Modica transportou sua escultura em um caminhão em dezembro de 1989 até Lower Manhattan e a deixou sob uma árvore de Natal em frente à Bolsa de Valores de Nova York. Foi seu presente de Natal para os nova-iorquinos, como um símbolo da “força e poder do povo”.

Depois de algumas semanas de guerrilha artística, o touro foi finalmente aceito pela cidade. Em 1989, encontrou sua localização atual, ao norte do Parque Bowling Green. O “Charging Bull” é uma das obras mais fotografadas da cidade de Nova York.

Diz a lenda que coçar o focinho do touro, agarrar seu chifres, ou testículos, traz boa sorte.

Touro de SP é de fibra de vidro

Já a versão da brasileira do touro de Wall Street foi construída sobre uma estrutura metálica tubular com multicamadas de fibra de vidro de alta densidade e pintura anticorrosiva. O “Touro de Ouro” tem 5,10 metros de comprimento, 3 metros de altura e 2 metros de largura.

Segundo a B3, a escultura foi um presente do economista Pablo Spyer e do artista plástico Rafael Brancatelli “para a cidade de São Paulo e o mercado financeiro brasileiro”.

“O Touro de Ouro representa a força e a resiliência do povo brasileiro. A B3 está trazendo esse novo símbolo para valorizar não apenas o centro de São Paulo, mas o desenvolvimento do mercado de capitais do Brasil, que passa pela própria história da bolsa”, disse Gilson Finkelsztain, CEO da Bolsa.

Grupo faz ato contra a fome na Bolsa de Valores, no Centro de SP, após instalação de Touro de Ouro — Foto: Vivian Reis/g1

OUTRAS NOTÍCIAS