Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Empresários e intelectuais lançam manifesto conjunto de apoio ao sistema eleitoral brasileiro

Empresários e intelectuais lançam manifesto conjunto de apoio ao sistema eleitoral brasileiro

Um grupo de empresários, economistas, intelectuais e diplomatas de renome do país publicou na edição desta quinta-feira (5) do jornal O Estado de S.Paulo um manifesto em defesa do sistema eleitoral brasileiro.

PEC do voto impresso prevê contagem manual de cédula por cédula

Nomes como os dos ex-ministros Armínio Fraga e Pedro Malan; Frederico e Luiza Trajano, do Magazine Luiza; Pedro Moreira Salles e Roberto Setubal, do Banco Itaú Unibanco; Carlos Jereissati, do Iguatemi; Pedro Passos e Guilherme Leal, da Natura; e Luis Stuhlberger, gestor do Fundo Verde, assinam o documento que exige respeito à democracia e aos resultados das eleições no país.

O texto afirma que a socidade brasileira “não aceitará aventuras autoritárias” e diz que haverá, sim, disputa eleitoral. Não há menção direta ao presidente Jair Bolsonaro, que tem dito disse que, sem a adoção do voto impresso, não haverá eleição em 2022.

Leia a íntegra do manifesto

“O Brasil enfrenta uma crise sanitária, social e econômica de grandes proporções. Milhares de brasileiros perderam suas vidas para a pandemia e milhões perderam seus empregos.

Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo.

Esse futuro só será possível com base na estabilidade democrática. O princípio chave de uma democracia saudável é a realização de eleições e a aceitação de seus resultados por todos os envolvidos. A Justiça Eleitoral brasileira é uma das mais modernas e respeitadas do mundo. Confiamos nela e no atual sistema de votação eletrônico. A sociedade brasileira é garantidora da Constituição e não aceitará aventuras autoritárias.

O Brasil terá eleições e seus resultados serão respeitados.”

Informações: R7

OUTRAS NOTÍCIAS