Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Empresário atira em carro que dava ‘cavalo de pau’ em frente sua casa e mata garota de 20 anos; Jovem fazia manobras para “distrair a cabeça” após discutir com namorado

Empresário atira em carro que dava ‘cavalo de pau’ em frente sua casa e mata garota de 20 anos; Jovem fazia manobras para “distrair a cabeça” após discutir com namorado

Após uma discussão com o namorado, a jovem Camila Barros Dias, de 20 anos, queria “distrair a cabeça”. Três amigos resolveram sair, na noite de quarta-feira (26), em Ji-Paraná e, juntos, foram dar “cavalos de pau” em um depósito de areia localizado na zona rural da região. Ela acabou sendo morta após um empresário ter visto as manobras e atirado.

De acordo com o delegado responsável pelo caso na Delegacia de Homicídios, Luís Carlos de Almeida, o condutor do veículo é um amigo da vítima. Ele  dirigia uma Ford Ranger emprestada do avô, sem que o dono tivesse conhecimento, para “distrair a cabeça” da amiga, que tinha brigado com o namorado e queria sair com os colegas. O grupo foi até o local por duas vezes e, na segunda, o empresário efetuou os  disparos.

De acordo com o depoimento prestado à delegacia, o autor do crime disse que, na segunda vez que o veículo fez as manobras, movimentou cascalhos que atingiram a porta da casa em que ele mora, que fica em uma rodovia, ao lado do depósito de areia. Ele pensou que o barulho fosse de tiros e confessou ter atirado três vezes, mas segundo perícia realizada pela Polícia Civil, há sete marcas de tiros no carro.

— A hipótese de legítima defesa não se sustenta neste caso porque o veículo não apresentava danos à integridade física do homem ou da casa. Além disso, foi constatado que ele é um atirador profissional.  É difícil haver uma hipótese de invasão de domicílio porque o local não é cercado por muros ou cercas. Ele não sofreu agressão e não teve motivos para atirar — afirmou o delegado, reiterando que a arma utilizada no crime foi uma pistola de 9mm e que o autor “agiu de modo livre e consciente, assumindo o risco de matar os ocupantes do veículo”.

Após ouvir os tiros, os jovens saíram do carro, mas perceberam que a vítima não se moveu e estava ensanguentada. Eles a levaram até o hospital da região, mas a jovem não resistiu aos ferimentos e morreu após receber atendimento médico.

Ainda de acordo com as informações do delegado, não havia indícios de que o condutor do veículo, que é habilitado, estava sob a influência de álcool ou outras drogas. Ele pode responder ao crime de direção perigosa.

— Uma curiosidade deste caso é que o pai da menina que morreu também já respondeu a homicídio por dar cavalo de pau ao dirigir, mas estava embriagado. Ele acabou ferindo pessoas também, mas isso foi anos atrás e ele perdeu o direito de dirigir. Agora, a filha morre de forma semelhante. É uma coincidência muito terrível e trágica —  finalizou.

Informações: O globo

OUTRAS NOTÍCIAS