Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Decoração: especialista dá dicas para garimpar móveis usados

Decoração: especialista dá dicas para garimpar móveis usados

A escolha de móveis usados e antigos é uma tendência de decoração que cresce cada vez mais. Dessa forma, móveis como sofás de pés de palito, por exemplo, se tornaram o sonho de consumo de muitas pessoas. Bem como, itens vintage como vasos, abajures, vitrolas e louças estão ganhando espaço. 

Segundo Marina Zaiantchick, da TAG2U, empresa paulistana especializada em decoração sustentável através da compra e venda de produtos usados, essa busca se deve muito por conta da conscientização da população. “A economia circular é um dos importante caminhos para um futuro sustentável. É necessário e urgente repensarmos as formas de consumo no nosso dia a dia, e isso se estende à decoração da nossa casa, escritório, empresa. Reutilizar itens que estão em perfeitas condições de uso reduz o descarte inadequado e desnecessário”, explica.

Marina ressalta que não existe um único critério para escolher e comprar peças usadas, mas alguns pontos devem ser considerados.  “Tudo vai depender do gosto pessoal, do tipo de peça procurada e, claro, quanto o comprador pretende investir. No nosso espaço, realizamos uma curadoria ampla, que vai desde itens de época, que não são mais encontrados por aí, a peças fabricadas mais recentemente, incluindo itens eletrônicos”, comenta.

O primeiro passo para se atentar é o estado de conservação. Peças antigas e usadas podem apresentar sinais de desgaste, mas também é possível encontrar itens intactos. “Definitivamente, uma peça de segunda mão não significa que a peça esteja sempre quebrada ou avariada. Porém, se atente a detalhes como puxadores, gavetas, dobradiças, parte interna do móvel, parte traseira, observando a integridade do material”, explica. 

Outro fator é verificar o potencial da peça. Por exemplo, ela pode ter alguma parte precisando de reparos, mas por ser um item único, é interessante refletir se não vale a pena reformá-la. Caso o móvel atenda às expectativas, mas não combine com o ambiente, também pode-se repensar a estrutura da peça. Além disso, é preciso paciência para garimpar e encontrar a peça ideal. 

 
 

OUTRAS NOTÍCIAS