Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Dados da Secretaria Municipal de Saúde revelam queda de 30% no registro de novos casos da Covid-19 em Feira

Dados da Secretaria Municipal de Saúde revelam queda de 30% no registro de novos casos da Covid-19 em Feira

Entre 22 a 28 de junho foram computados 1.065 novos casos, enquanto que no período de 13 a 19 deste mês, o município contabilizou 743 casos da doença.

A ocupação de leitos de UTI e clínicos no Hospital de Campanha também apresenta queda. No começo deste mês, os 18 leitos de UTI estavam todos ocupados e a taxa de leitos clínicos chegava a 75% de ocupação. Hoje (21) há 50% de leitos vagos na UTI e 67% clínicos.

Levantamento da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) até o dia 17 também aponta que o município mantém um coeficiente de incidência da Covid-19 abaixo do registrado em Salvador e na maioria das cidades da Região Metropolitana da capital. Além disso, Feira está em 186º lugar na Bahia em taxa média de crescimento da pandemia.

Embora os números favoráveis, a população não deve facilitar. É o que recomenda o prefeito Colbert Martins Filho. “O município está numa posição relativamente controlada na pandemia, o que nos possibilita a flexibilização nas atividades econômicas com o escalonamento no funcionamento de algumas atividades. Contudo, todas as medidas de prevenção ao coronavírus devem ser mantidas”.

Colbert Filho lamenta os óbitos registrados no município – no período entre 6 de março a sexta-feira, 17, a SMS contabilizou 5.741 casos da doença e 99 óbitos – e considera que os números servem de alerta. No entanto, afirma que as próprias estatísticas demonstram que “Feira de Santana não pode ser considerada o terror da Covid-19 na Bahia”.

“Se confrontarmos as estatísticas da pandemia com a grande influência e a dependência de uma macrorregião de dezenas de municípios, principalmente do ponto de vista socioeconômico de Feira de Santana, além da logística de maior entroncamento rodoviário do Norte e Nordeste do país, eu diria que a ação do vírus por aqui poderia estar pior”, acrescenta o prefeito.

OUTRAS NOTÍCIAS