Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Coreia do Norte proíbe demonstrações de felicidade por 11 dias por aniversário da morte de ex-ditador

Coreia do Norte proíbe demonstrações de felicidade por 11 dias por aniversário da morte de ex-ditador

O governo da Coreia do Norte proibiu que a população demonstre sinais de felicidade por 11 dias. A medida ocorre em meio às homenagens que marcam o 10º aniversário de morte de Kim Jong-il, pai do atual ditador Kim Jong-un.

As restrições incluem a proibição explícita de dar risadas ou consumir bebida alcoólica durante o período de luto. No dia exato em quem a morte de Kim Jong-il completou dez anos, na última sexta-feira (17), os norte-coreanos foram proibidos até de fazer compras.

O ex-ditador norte-coreano governou o país de 1994 até 2011, quando morreu após sofrer um ataque cardíaco aos 69 anos de idade.

Na sexta, durante cerimônia em uma praça de Pyongyang, a capital, os norte-coreanos recordaram o aniversário e inclinaram a cabeça em silêncio diante dos retratos do falecido líder e de seu pai, Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte.

10 anos com Kim Jong-un no poder

Atual ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un assumiu o poder em dezembro de 2011, aos 28 anos. Só no enterro do pai dele que o povo soube quem passaria a comandar o país.

O culto à sua personalidade é uma das armas usadas por Kim para esconder as dificuldades políticas e econômicas do governo norte-coreano. Ele exige ser chamado de Suryong, ou “dirigente supremo”, um título reservado, até agora, a seu avô, Kim II-sung.

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS