Confira como a reforma tributária vai afetar sua vida financeira

deputado-celso-sabino

Após uma série de críticas de empresas e especialistas, o deputado Celso Sabino (PSDB-PA) apresentou ontem a lideranças da Câmara  o relatório da proposta que muda o Imposto de Renda (IR), a segunda etapa da reforma tributária.

Em acordo com o governo, ele propôs cortar subsídios que atingem 20 mil empresas como forma de reduzir à metade o Imposto de Renda de todas as empresas de 25% para 12,5%, conforme antecipou O GLOBO.

Para compensar a perda de arrecadação, após negociações com o Ministério da Economia, o relator propôs corte de subsídios dos setores químico, farmacêutico, de perfumaria e higiene, e das indústrias de embarcações e aeronaves. E já sofre resistências.

O texto revoga ainda o incentivo fiscal para empresas que têm programa de alimentação dos trabalhadores e passa a cobrar IR sobre auxílios-moradia e transporte de funcionários públicos.

Confira o que muda se a proposta for aprovada

Vale-alimentação

A proposta acaba com dedução de imposto que empresas recebem por programas de alimentação do trabalhador. Pode ficar mais caro fornecimento de alimentação e tíquetes por empresas.

Transporte aéreo

O relatório acaba com isenção e redução de impostos para partes, peças e componentes destinados ao reparo, revisão e manutenção de aeronaves e embarcações, o que pode elevar o custo do transporte aéreo.

Gás natural

O texto acaba com redução de impostos incidentes sobre a receita bruta decorrente da venda de gás natural canalizado e carvão mineral destinados à geração de energia elétrica.

Indústria farmacêutica

O relatório acaba com incentivos tributários concedidos à indústria farmacêutica e de produtos de perfumaria, de toucador ou de higiene pessoal.

OUTRAS NOTÍCIAS