Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Comentarista da Jovem Pan cita mortes de adolescentes para desencorajar imunização, mas dois deles nem sequer haviam sido vacinados

Comentarista da Jovem Pan cita mortes de adolescentes para desencorajar imunização, mas dois deles nem sequer haviam sido vacinados

Em vídeo visto 1 milhão de vezes, Cristina Graeml reproduz casos tirados de contexto nas redes sociais e também desinforma ao falar.

estadaoverifica Comentarista da Jovem Pan cita mortes de adolescentes para desencorajar imunização, mas dois deles nem sequer haviam sido vacinados

Em vídeo visto 1 milhão de vezes, Cristina Graeml reproduz casos tirados de contexto nas redes sociais e também desinforma ao falar

Jovem Pan, cita cinco casos de adolescentes que morreram recentemente, numa tentativa de lançar dúvidas sobre a segurança da vacina contra acovid-19. Porém, das mortes citadas por ela, duas eram de adolescentes que nem sequer tinham sido imunizados; uma teve a relação com a vacina descartada pelas autoridades sanitárias; e as outras duas seguem sob investigação, sendo prematuro levantar hipóteses.

AAgência Nacional de Vigilância Sanitária(Anvisa) informou que “não existem óbitos de adolescentes com relação de causa comprovada relacionada à vacina da Pfizer”. As secretarias de Saúde dos Estados em que os jovens morreram também confirmaram que não há relação comprovada com a imunização.

A Anvisa, responsável pela aprovação de vacinas e pelo acompanhamento da aplicação na população, investiga todos os casos de eventos adversos graves reportados. Os técnicos comparam, por exemplo, cada caso com notificações semelhantes no País e no exterior, bem como consulta os estudos disponíveis, laboratórios fabricantes e a equipe responsável pelo atendimento do paciente. headtopics.com

O órgão disse que não pode confirmar as identidades dos adolescentes citados porque “nem sempre o nome do paciente está descrito na notificação” e porque é um dado pessoal. De toda forma, não há confirmação de mortes de adolescentes relacionadas à vacina contra covid.

Vídeo com informações falsas sobre vacina tem mais de 1 milhão de visualizações no YouTube. Foto: Reprodução/YouTubeOEstadão Verificatambém consultou as secretarias estaduais de Saúde de Bahia, Santa Catarina e São Paulo. Nos dois primeiros Estados, os adolescentes que morreram não tinham tomado nenhuma vacina contra a covid-19. Essa informação está de acordo com manifestações de familiares e de pessoas próximas às vítimas nas redes sociais ou na imprensa local.

Em São Paulo, um dos casos citados já teverelação causal com a vacina descartada pela Anvisa,pela secretaria estadual e pelo Ministério da Saúde. Os outros dois casos seguem sob investigação.No comentário nos

Pingos nos Is, Cristina diz que “todos eles(adolescentes que morreram)com relatos de que tinham se vacinado no máximo uma ou duas semanas antes. Morreram por causa da vacina? Não se sabe, precisa investigar”. O Estadão Verificaprocurou a comentarista, mas não obteve resposta até a publicação. headtopics.com

A seguir, oEstadão Verificainforma a apuração de caso a caso. Como as vítimas são menores de idade, apenas o primeiro nome de cada uma será utilizado.Dois adolescentes não tinham tomado vacinaA comentarista cita a morte de Julia, de 15 anos, em Blumenau (SC). Por e-mail, a Secretaria de Saúde de Santa Catarina falou ao

Estadão Verificaque “a informação é de que a adolescente foi a óbito por parada cardíaca”. Esclarece ainda que ela não havia tomado a vacina contra a covid-19.

Informações: Estadão

OUTRAS NOTÍCIAS