Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Com rosto deformado, saxofonista agredido por tocar na rua pede ajuda; veja vídeos e entenda

Com rosto deformado, saxofonista agredido por tocar na rua pede ajuda; veja vídeos e entenda

Um momento de arte e talento, que encantou moradores do bairro Papicu, em Fortaleza, na madrugada da última quinta-feira, se transformou em cenas de violência. Na noite de quarta, por volta das 22h30, vídeos de Valdy Barboza, músico desempregado, fazendo uma apresentação aos residentes da Rua Júlio Azevedo ganharam as redes sociais.

No entanto, enquanto o “show particular” agradou a uns, desagradou completamente a outros, especificamente pessoas em situação de rua e usuários de drogas da região. Uma moradora do local contou ao site Diário do Nordeste que o saxofonista foi ameaçado, mas se recusou a parar de tocar buscando ajuda financeira.

A recusa foi o motivo para que Valdy fosse brutalmente espancado. “Quando foi umas 3 horas da manhã acordamos com os gritos. Tomaram o saxofone e bateram muito nele”, contou ao site uma moradora de um prédio localizado na rua.

O momento da agressão foi registrado por outros vizinhos. Nas imagens, o saxofonista aparece caído no chão, cercado por várias pessoas, e recebendo chutes. Aos gritos, ele pede ajuda enquanto é violentamente agredido. Em seguida, ele é arrastado pela rua com uma corda presa aos pés.

O vídeo que mostra as agressões passaram a ser compartilhados nas redes sociais, com moradores da região preocupados com o estado de saúde do músico. Na sexta-feira (3), uma jovem identificada como Vitória Samia, utilizou os stories do perfil de Valdy no Instagram para dar notícias aos parentes, amigos e seguidores.

Na série de vídeos, ela detalha o caso e afirma que ele estava “sem condições de estar se comunicando”, e que sofreu “várias perfurações” e, em razão disso, passaria “por várias cirurgias”. Horas depois, um vídeo mostra Valdy com o rosto completamente deformado por causa das agressões, pedindo ajuda para recuperar o instrumento de trabalho.

“Gente, eu quero agradecer pelo apoio, viu, galera?! Não tô muito bem ainda, mas, graças a Deus, eu tô vivo, né?! Tô sem o meu instrumento, mas eu creio que logo, logo vou estar aí tocando para vocês”, relatou. “Assim que estiver com o instrumento eu vou tocar para vocês aí. Podem pedir qualquer música”, complementou.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSPDS) informou que quatro suspeitos de participação na ação criminosa foram identificados pela Polícia Civil. Conforme comunicado, a apuração, conduzida pelo 15° Distrito Policial (DP), realiza oitivas e busca saber quais foram as circunstâncias e a motivação da lesão corporal que vitimou o músico.

Informações: BNews

OUTRAS NOTÍCIAS