Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Com mais de 20 mil visualizações 14° Festival Literário e Cultural de Feira encerrou neste fim de semana

Com mais de 20 mil visualizações 14° Festival Literário e Cultural de Feira encerrou neste fim de semana

Com atividades diversificadas em cinco dias de evento e mais de 20 mil visualizações, terminou no sábado (25) a 14ª edição da Feira do Livro / Festival Literário e Cultural de Feira de Santana (Flifs), que pelo segundo ano consecutivo foi realizada no formato virtual, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A programação da Flifs, organizada pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), incluiu mais de 45 lançamentos de livros, 18 mesas de debates, 15 oficinas, 14 contações de histórias, quatro minicursos, apresentações musicais e teatrais, recitais de poesia e cordel.

A conferência de encerramento contou com a participação da romancista, poetisa e contista Conceição Evaristo. A escritora falou sobre as obras que escreveu, a presença de mulheres na literatura e a importância da leitura na formação do indivíduo e na construção da sociedade. “A escrita é um caminho de resistência e também um lugar de insubordinação porque nos ajuda a romper com lugares pré-estabelecidos. Ela retira as mulheres de alguns lugares fixos que a sociedade determinou”. A conversa foi mediada pela pró-reitora de Extensão da Uefs e coordenadora da Flifs, Rita Brêda.

Ainda no último dia do evento teve divulgação do resultado do concurso de cordel “ZOORDEL – Animais do sertão, do céu ao chão”, que reuniu textos de poetas de diversos municípios baianos sobre a fauna do semiárido. Foram 62 inscritos, sendo 42% mulheres, e dez premiados. Os três primeiros colocados foram Erismar Andrade Oliveira, Inamar Santos Coelho e Valdir Cavalcante de Matos. A cantora Maryzelia, presente em todas as edições da Flifs, encerrou o evento com a apresentação de show com sambas atemporais.

O reitor da Uefs, Evandro do Nascimento, avaliou a Feira positivamente e destacou as atividades propostas. “A Flifs 2021 se mostrou tão potente quanto nos anos anteriores. Teve programação diversificada, palestrantes de renome, concurso de cordel, arte e cultura, e ainda a inovação da Flifinha, para tornar nossas crianças amantes da leitura e da cultura. A sociedade é que ganha com o evento. Agradeço aos parceiros da organização da Flifs por levarmos esse presente maravilhoso ao povo feirense e baiano”, disse o reitor.

Para a coordenadora da Flifs, Rita Brêda, a edição de 2021 foi um sucesso e cumpriu o papel de democratizar o acesso à literatura. “A gente encerra o evento já pensando no próximo. Em 2022, a expectativa é que a situação sanitária esteja assegurada e que possamos voltar à praça pública, que promove encontro, debate e circulação de pessoas”. Ela também disse que o desafio será criar uma programação híbrida, com algumas atividades virtuais para ser acessada por pessoas de todos os lugares. A Flifinha, com programação especial para as crianças, está confirmada no próximo ano.

Todas as atividades da Flifs podem ser assistidas novamente através do canal YouTube/flifsoficial.

Informações; Ascom

OUTRAS NOTÍCIAS