Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Colbert não pagou terceirizados da Prefeitura de Feira no dia 04 de março como prometido; Câmara já aprovou orçamento e desculpa não cola mais

Colbert não pagou terceirizados da Prefeitura de Feira no dia 04 de março como prometido; Câmara já aprovou orçamento e desculpa não cola mais

O Prefeito Colbert Martins prometeu que faria o pagamento dos salários atrasados dos servidores terceirizados da Prefeitura de Feira de Santana no dia 04 de março, alegando impossibilidade na lei orçamentária, que não teria sido aprovada pela Câmara até a data do pronunciamento, mesmo tendo verba liberada mensalmente até a aprovação de LOA.

O fato é que, chegando a data, os pagamentos não foram realizados, os servidores ainda encontram-se sem salários, e a desculpa do orçamento não cola mais, pois o mesmo já foi votado e aprovado pelos Vereadores. Resta apenas ao Gestor Municipal de Feira de Santana, promulgar ou vetar a LOA, e emendas dos Edis. 

Através de denúncia direcionada a redação do site Caldeirão do Paulão, um dos servidores expressou seu descontentamento com a situação, e contou que servidores que prestam serviços nas UPAs e Policlínicas de Feira estão trabalhando sem receber.

“Venho aqui denunciar a empresa IGI antiga IMEGI que não pagou nós funcionários o salário do mês de Fevereiro. Esta empresa é terceirizada pela Prefeitura, e administra as Policlínicas do Parque Ipê, George Américo, São José e UPA da Mangabeira. Será falta de repasse da Prefeitura de Feira ou esse dinheiro está sendo usado pela Empresa IGI para outros fins? Fica a pergunta e revolta. Estamos com nossas contas atrasadas!”, conta a servidora, que pediu anonimato por medo de represálias.

Infelizmente a palavra do Prefeito Colbert já não vale muita coisa, pois o mesmo vem descumprindo promessas sistematicamente deis de que assumiu o mandato, a exemplo da criação do Hospital Municipal, que não foi incluso pelo mesmo no orçamento e foi promessa de campanha, necessitando que o poder legislativo fizesse através de emenda a LOA.

A falta com a palavra recorrente inclusive, foi o que acarretou na atual situação na Casa Legislativa, com a ruptura do grupo anteriormente majoritário dos governistas, e nascimento do grupo dos aliados.

OUTRAS NOTÍCIAS