Ciro Gomes afirma que “nada deterá” sua candidatura

SAO PAULO, BRAZIL - SEPTEMBER 24: Presidential candidate Ciro Gomes of the Democratic Labour Party speaks during a televised debate organized by a pool of local media at SBT Studios on September 24, 2022 in Sao Paulo, Brazil. Candidate Lula Da Silva, who leads most of the polls, has announced his absence from this debate and promised to attend the last one in Rio de Janeiro a day before the voting. (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)

Após provocar alarde nas redes sociais para a leitura de um “Manifesto à Nação”, Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT, anunciou, nesta segunda-feira (26/9), que “nada deterá” sua disposição de seguir em frente na corrida ao Palácio do Planalto. Na sede do comitê central de campanha, em São Paulo, o pedetista afirmou que o manifesto visa debater o “atual momento político do país e o papel da candidatura neste contexto.

Ciro Gomes disse ser “vítima” de uma campanha nacional e internacional de “intimidação, mentiras e operações de destruição de imagem”. O candidato também citou os pedidos de retirada de candidatura, mas destacou que não cederá à pressão. “Por mais jogo sujo que pratiquem, eles não me intimidarão”, frisou o presidenciável.

Além disso, ele voltou a criticar a estratégia do “voto útil”, defendida principalmente por apoiadores de Lula. Segundo Ciro, a campanha do petista quer “eliminar a liberdade das pessoas de votarem”.

O pedetista, mais uma vez, colocou-se como único nome capaz de furar a polarização entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), líderes nas pesquisas de intenção de voto. Ciro aparece em terceiro lugar nos principais levantamentos.

No manifesto, Ciro faz críticas a Lula e Bolsonaro e compara os adversários. “Lula continua a repetir que colocou os pobres no orçamento, quando, na verdade, os contentou com migalhas. Bolsonaro, sua cria maligna, seguiu parte desta cartilha aliando-se ao Centrão e rendendo-se à corrupção e ao clientelismo”, avaliou.

“Não fugirei do verdadeiro embate democrático e não compactuarei com essa farsa. Tenho compromisso de vida e de morte com um Brasil melhor. Minha candidatura está de pé para defender o Brasil em qualquer circunstância”, afirmou nesta segunda-feira.

Nas últimas semanas, Ciro Gomes tem sido pressionado por políticos e outras personalidades a deixar a candidatura, com objetivo de evitar reeleição de Bolsonaro ao Planalto.

O pedetista também declarou que os postulantes se unem em um “modelo corrupto de governar”.

“Bolsonaro não existiria se não fosse a grave crise econômica e moral dos governos petistas. E Lula não sobreviveria, em sua ameaçadora decadência, se não fossem os desatinos criminosos de Bolsonaro”, pontuou.

 

Agenda

Ciro participa, nesta segunda-feira, de entrevista ao podcast Flow, em São Paulo. O candidato tem centralizado os últimos compromissos de campanha no Sudeste, especialmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, maiores colégios eleitorais do país.

Além de promover comícios na região ao longo da semana, Ciro deve gravar os últimos programas eleitorais e participar do debate entre presidenciáveis na TV Globo, previsto para quinta-feira (29/9).

 

Fonte: metropoles.com

OUTRAS NOTÍCIAS