Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Chuvas do fim de semana deixam ruas de Feira alagadas; “Prefeito não faz nada, deveria arrumar um barco, as ruas já viram verdadeiros rios”

Chuvas do fim de semana deixam ruas de Feira alagadas; “Prefeito não faz nada, deveria arrumar um barco, as ruas já viram verdadeiros rios”

O ditado “os carros são como as lanchas e as motos como jet-skis”, quase se aplica em Feira de Santana. Em menos de dez minutos de chuvas, é possível presenciar cenas de completo alagamento de ruas da cidade, como é o caso Da 1º Travessa Várzea Alegre no bairro Tomba.

A rua, que é acesso a uma escola, quando chove fica completamente alagada, impossibilitando a passagem das crianças e demais moradores, que precisam enfrentar as águas sujas e risco de doenças para chegar a seus destinos.

“Tive que levar meu filho nas costas para poder passar na rua, do jeito que está não poderia arriscar ele pegar uma doença nessa agua suja. É sempre assim, cai dois minutos de água as ruas alagam, e ai vem urina de animal, esgoto, fezes, tudo junto dessa água, e ficamos aqui a mercê, o Prefeito tem que fazer alguma coisa, e já que não faz, que pelo menos arrume um barco pra gente passar nesse rio”, conta um dos moradores.

E para quem acha que são casos isolados, está completamente enganado, em vários locais de Feira a situação é similar, na Rua Adalgisa Santos, a água chega a ilhar proprietários de comércios locais, dando prejuízo aos que dependem dos mesmos para seu sustento, pois sem poder receber clientes e com água entrando em suas lojas, precisam fechar os estabelecimentos e acumular prejuízos, e olha que ao lado da rua fica uma unidade de uma rede de supermercados, e mesmo assim a Gestão Pública nada faz para sanar os problemas da comunidade.

“Tive que fechar meu comercio e fazer uma barricada pra água não entrar, precisamos de uma obra de escoamento e esgoto urgente, a Prefeitura tem que fazer alguma coisa, não sou aposentado, dependo do meu comercio, mas sempre que chove não posso abrir, é só prejuízo, estou aqui ilhado sem poder trabalhar”, explica um comerciante local.

Já na Rua Dra. Arlinda Oliveira, a situação chega a ser ainda pior, pois no estado que a rua se encontra, o transito é praticamente impossível, carros que tentam passar no local, por diversas vezes, acabam quebrando. Com a agua que entra nos veículos, e os buracos e materiais que podem furar pneus escondidos pela volume da água, os motoristas ficam à mercê de possíveis defeitos nos veículos.

OUTRAS NOTÍCIAS