Luisa Mell resgata animais acorrentados o estado deles é de cortar o coração

Na manhã desta sexta (8), Luisa Mell esteve no Jardim São Francisco, em São Paulo, para averiguar uma denúncia de animais acorrentados no fundo de uma residência.

Acompanhada da Polícia Civil, a ativista entrou no local e questionou o proprietário sobre o tratamento dado aos cachorros “Meu quintal nao é grande, mas se eu soltar fica pior”, respondeu o homem.

Além dos dois vira-latas, a equipe encontrou um cão de raça, filhotes e um coelho.

Em video divulgado nas redes sociais, o policial aponta que os bichos estavam acorrentados, desnutridos, sujos, sem atendimento e em local insalubre.

Uma veterinária também acompanhou a denúncia e deve emitir um laudo para apontar possíveis evidência de maus-tratos. Todos resgatados foram encaminhados para atendimento no Instituto Luisa Mell.

Fonte: R7

Atriz Alessandra Negrini é assaltada na Consolação, no centro de SP

A atriz Alessandra Negrini foi assaltada em um táxi próximo à rua da Consolação, na região do Baixo Augusta, no centro de São Paulo, na terça-feira (5). Um dos homens estava armado.

De acordo com a Polícia Civil, quatro suspeitos cercaram o táxi que estava parado no trânsito e anunciaram o assalto. A atriz e o motorista do veículo tiveram de entregar o celular.

Os homens teriam vasculhado o aparelho da atriz e tido acesso a dados bancários. Os homens não chegaram a levar carteira ou outros objetos das vítimas.

O crime ocorreu na terça-feira (5), mas Alessandra Negrini compareceu à delegacia para registrar o boletim de ocorrência nesta quinta-feira (7).

Fonte: R7

Jovem é espancada com taco de beisebol e estrangulada em encontro

Uma jovem britânica de 19 anos passou momentos de terror no apartamento do garoto que ela conheceu por meio de um app de paquera, em Loughborough, na Inglaterra. Em ataque sádico, ela foi espancada com um taco de beisebol e estrangulada até desmaiar. As informações são do jornal britânico The Mirror.

Segundo a publicação, o agressor atingiu Emily Harvey por tantas vezes com o taco de madeira, que ele partiu ao meio. Ela ainda foi agredida na cabeça com uma frigideira. No relato aterrorizante, a jovem revela que o rapaz, de 17 anos, também usou o tubo de um aspirador de pó para estrangulá-la até desmaiar. Os ataques ocorreram por cerca de seis horas seguidas.

Fonte: Metrópoles 

Jovem é estuprada pelo ex após se recusar a perder virgindade

ma jovem norte-americana de 24 anos diz ter sido obrigada a ter relações sexuais com o namorado. Após recusar, foi chamada várias vezes de “vagabunda”, “cadela” e “prostituta” pelo companheiro. Em seguida, tomou uma bebida adulterada e foi estuprada.

Durante anos, Mayci Jones Neeley, da Califórnia, nos Estados Unidos, sofreu com um relacionamento abusivo. De acordo com a jovem, o rapaz checava o telefone dela com frequência e a acusava de traição, mesmo sem ter prova alguma.

“Ele começou a me pressionar a beber álcool, o que era contra a política da minha escola e da minha religião. Depois de dizer não repetidas vezes, finalmente cedi para evitar ouvir gritos e ser abusada verbalmente”, relata a jovem, segundo o jornal The Sun.

A jovem relatou que já tinha feito de tudo com o ex-namorado, menos o sexo de fato. “Eu disse a ele que estava guardando minha virgindade para o casamento, porque era isso que eu queria. Ele sempre me pressionava a fazer sexo com ele e eu dizia não”, contou.

Apesar de recusar, Mayci tomou, inconscientemente, certo dia, uma bebida que o próprio companheiro teria adulterado. “Depois de beber um pouco, a última coisa que me lembro é ele em cima de mim e eu dizendo ‘não, eu não quero, não quero’ repetidamente”, contou.

Fonte: Metrópoles 

Acusado de agredir companheira de deixar em cárcere é preso após denúncia anônima

Policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Periperi) prenderam em flagrante Edilton Pereira Santos, de 41 anos, na localidade de Tubarão, em Paripe, nesta quinta-feira (7). Ele é acusado de manter a companheira em cárcere privado, agredi-la e ameaçá-la de morte. Os policiais chegaram até o homem após uma denúncia anônima.

De acordo com a titular da Deam/Periperi, delegada Simone Moutinho, Edilton também vai responder pela agressão contra a mulher. “Ele foi preso em flagrante pela ameaça e cárcere privado, mas também será indiciado pela lesão corporal, praticada na quarta-feira (6), quando ele golpeou a vítima com um facão”, afirma.

Ainda segundo a delegada, Edilton convivia há dez anos com a vítima e a impedia de sair sozinha, utilizar aparelho celular. Ele está à disposição da Justiça.

Fonte: Blog Polícia é Viola

Polícia recupera carga de eletrodomésticos avaliada em R$ 85 mil

Uma carga de eletrodomésticos avaliada em R$ 85 mil foi recuperada, na quarta-feira (6), na cidade de Nova Fátima, distante 227 quilômetros da capital baiana, por investigadores da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas em Rodovias (Decarga).

De acordo com o titular da unidade, delegado Gustavo Coutinho, a carga estava acondicionada em um caminhão, apreendido na casa do motorista Fabrício Ferreira Pacheco, que transportava os eletros. Ele está sendo procurado.

O veículo saiu da distribuidora no dia 6 de setembro, com destino as cidades da Paraíba e de Pernambuco. A carga recuperada foi devolvida e um inquérito policial instaurado na Decarga para apurar o crime.

Fonte: Blog Polícia é Viola 

Deputado Abílio Santana não apoia decisão do STF sobre prisão em 2ª instância “criminoso tem que estar preso”

Nesta sexta-feira (8) o deputado federal Abílio Santana (PL-BA) defendeu que o Congresso altere a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que vetou a prisão após segunda instância na noite desta quinta (7), por 6 votos a 5, a Corte reverteu seu próprio entendimento, que autorizou as prisões, em 2016.

O parlamentar reiterou que respeita a decisão do STF, mas discorda e irá trabalhar para que seja revertida.
“Não é uma questão política, é de justiça e segurança. Respeito a decisão do STF, mas como o próprio ministro Toffoli pontuou, o Congresso pode mudar o artigo 283 do Código de Processo Penal. Logo, a bola está com o Congresso e não medirei esforços para que o parlamento reverta essa decisão. Não podemos permitir que bandidos sejam soltos”, avaliou.

Ainda conforme Abílio, são quase 5 mil presos que podem se beneficiar com a decisão do Supremo. “Vamos com a força do parlamento fazer valer o que o povo brasileiro quer, criminoso tem que estar preso, seja ex-presidente, ex-deputado, não importa. Por mim, Lula e todos os outros bandidos continuam na prisão”, finalizou.

Lula cogita voltar a morar no Nordeste após deixar a prisão

Ao que parece, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve escolher um novo lugar para morar após ser libertado. Em entrevista ao jornal Brasil de Fato, na Polícia Federal, onde cumpre pena desde abril de 2018, em Curitiba, o petista cogitou voltar a morar no Nordeste depois que deixar a prisão. A informação é do jornalista Leonardo Sakamoto, do portal Uol.

Lula já morou em Garanhuns – que ainda pertencia a Caetés -, em Pernambuco. Atualmente, ele tem uma residência em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista.

Nesta quinta (7), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu derrubar a prisão de condenados em segunda instância, retomando o entendimento que os réus podem começar o cumprimento de sua pena apenas quando esgotarem todos os recursos, inclusive aos tribunais superiores, seus advogados pedem a soltura imediata do ex-presidente.

Fonte: BNews

Bolsonaro diz que trabalho de Moro como juiz o levou à Presidência

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que parte do seu sucesso nas elições de 2018 foi fruto do trabalho realizado por Sérgio Moro. A declaração foi dada durante um evento de formatura do curso de formação de policiais federais.

Sérgio Moro se tornou ministro da Justiça e Segurança Pública no governo Bolsonaro. “Se essa missão dele não fosse bem cumprida, eu também não estaria aqui, então em parte o que acontece na política do Brasil, devemos a Sergio Moro”, disse Bolsonaro.

Como juiz, Moro foi responsável pela primeira condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2017, no caso do tríplex em Guarujá (SP).

O presidente da República fez o elogio a Moro ao comentar a composição do seu ministério, e disse que à época que convidou o então juiz para ser ministro, o envolvimento de Moro com políticos não poderia ser revelado.

“Tive a grata satisfação de ser eleito e ser talvez o único que está cumprindo o que prometeu durante a campanha”, disse Bolsonaro. “Num primeiro momento, escolher uma boa equipe de 22 ministros para estarem ao meu lado. Um está aqui presente no momento, Sergio Moro, que quando eu o convidei, depois inclusive de um incidente no aeroporto, nós dois, o pessoal deve se lembrar, mas aquilo foi por uma situação de não atrapalhar o bom serviço que ele vinha executando”, continuou o presidente.

“Ele não poderia se aproximar de políticos, não poderia ter um partido, como não teve e não tinha. Ele estava cumprindo com a sua missão. Se essa missão dele não fosse bem cumprida, eu também não estaria aqui, então em parte o que acontece na política do Brasil, devemos a Sergio Moro”, concluiu Bolsonaro.
Fonte: BNews

TRF-4 marca para 27 de novembro julgamento de Lula no caso do sítio de Atibaia

O julgamento da apelação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do sítio de Atibaia será realizado às 9h do dia 27 de novembro, uma quarta-feira, na sede do Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre. A data foi marcada pela secretaria da 8ª Turma, e foi divulgada pelo tribunal nesta sexta (8).

A apelação da defesa do ex-presidente já estava liberada desde terça (5). O revisor dos processos da Lava Jato na 8ª Turma, desembargador Leandro Paulsen, pediu a marcação da data.

Conforme o TRF-4, será julgada primeiramente a Questão de Ordem para decidir se a ação deve ou não voltar para a fase das alegações finais com a anulação da sentença da 13ª Vara Federal de Curitiba. No dia 29 de outubro, o Superior Tribunal de Justiça suspendeu esse julgamento, com o argumento de que o pedido deveria ser analisado junto com a apelação.

Caso o trâmite normal do processo seja mantido, a turma avança para a análise do mérito.

Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses em primeira instância neste processo por corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro, em fevereiro deste ano. Seus advogados recorreram pedindo a absolvição. O Ministério Público Federal, por sua vez, recomenda o aumento da pena.

Na época da manifestação do MPF, a defesa de Lula emitiu nota afirmando que o ex-presidente sofre uma “perseguição política”, e que o processo é “viciado pela parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro”.

O relator do processo, desembargador João Pedro Gebran Neto, entregou seu voto sobre a apelação no dia 11 de setembro. O conteúdo é sigiloso. Além dele e de Paulsen, a 8ª Turma também é composta pelo desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

Prisão

A sentença do sítio de Atibaia é a segunda condenação de Lula na Lava Jato. O ex-presidente cumpre pena na Polícia Federal de Curitiba por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá (SP), desde abril do ano passado.

  • Veja todos os processos de Lula na Justiça

Em setembro, o MPF pediu a progressão do regime do ex-presidente à Justiça. Lula, no entanto, se recusou a sair da prisão. Em carta, ele disse que não aceita “barganhar” por liberdade.

Entretanto, após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão após condenação na segunda instância, em julgamento que terminou na noite de quinta-feira (7), a defesa de Lula pediu à Justiça que ele seja solto.

O pedido será analisado pela juíza federal Carolina Lebbos, em Curitiba, que é a responsável pela execução penal de Lula.

Outros réus no caso do sítio de Atibaia

Outras 12 pessoas foram denunciadas no processo. Veja aqui como ficaram as penas na primeira instância.

Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, teve a condenação suspensa por causa do acordo de delação premiada. Agenor Franklin Medeiros, ex-executivo da OAS, teve a acusação extinta. Rogério Aurélio Pimentel, ex-assessor especial da Presidência, foi absolvido.

Nove réus recorreram ao TRF-4 contra as condenações. Alexandrino de Alencar, ex-executivo da Odebrecht, não apelou.

O procurador do MPF entende que os réus Carlos Armando Guedes Paschoal, ex-diretor da Odebrecht, e Emyr Diniz Costa Junior, ex-engenheiro da empreiteira, devem receber perdão judicial. Os dois são colaboradores.

Denúncia

De acordo com o Ministério Público Federal, Lula recebeu propina do Grupo Schain, de José Carlos Bumlai, e das empreiteiras OAS a Odebrecht por meio da reforma e decoração no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que o ex-presidente frequentava com a família.

A acusação trata do pagamento de propina de pelo menos R$ 128 milhões pela Odebrecht e de outros R$ 27 milhões por parte da OAS.

Para os procuradores, parte desse dinheiro foi usada para adequar o sítio às necessidades de Lula. Segundo a denúncia, as melhorias na propriedade totalizaram R$ 1,02 milhão.

O MPF afirma que a Odebrecht e a OAS custearam R$ 850 mil em reformas na propriedade. Já Bumlai fez o repasse de propina ao ex-presidente no valor de R$ 150 mil, ainda conforme o MPF.

Segundo o MPF, Lula ajudou as empreiteiras ao manter nos cargos os ex-executivos da Petrobras Renato Duque, Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada, Nestor Cerveró e Pedro Barusco, que comandaram boa parte dos esquemas fraudulentos entre empreiteiras e a estatal, descobertos pela Lava Jato.

Fonte: G1