Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

‘Candidatura de Wagner pertence ao PT e não ao grupo’, avalia Cacá Leão

‘Candidatura de Wagner pertence ao PT e não ao grupo’, avalia Cacá Leão

O deputado federal Cacá Leão (PP) declarou, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia divulgada nesta segunda-feira (6), que a candidatura do senador Jaques Wagner (PT) à majoritária do ano que vem não pertence ao grupo político que dá sustentação ao Governo da Bahia. O momento, segundo ele, é propício ao fortalecimento das legendas ainda.

“Olha, a candidatura, a pré-candidatura do senador Jaques Wagner é legítima, mas eu tenho dito sempre que ela é uma candidatura que hoje pertence ao Partido dos Trabalhadores. Ainda não pertence ao nosso grupo, a nossa base, ao nosso grupo político, o nosso partido deseja a candidatura do vice-governador João Leão como PSD também deseja a candidatura do senador Otto Alencar”, disse.

Ao impresso, Cacá ainda avaliou que o ACM Neto, presidente nacional do DEM, é “um player importante”. “Olha, o ex-prefeito ACM Neto vem com um recall de oito anos de administração, administração bem-sucedida, fez o seu sucessor, foi muito bem votado, eleito no primeiro turno, o prefeito Bruno Reis. Então, o ex-prefeito ACM Neto tem as suas qualidades, e ele vai apresentar isso no momento da eleição”, elogiou.

Cacá também destacou que o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), também tem importância no processo eleitoral e que realmente deve ser candidato – contrariando os rumores de que ele deve desistir do projeto estadual.

“Acho que essa possibilidade existe sim. Tem feito movimentos nesse sentido de construir, conversar com todas as bases políticas, inclusive, do Estado da Bahia. Ele fala em fortalecer o palanque do presidente Bolsonaro. A candidatura dele também serviria para isso”, avaliou Cacá.

OUTRAS NOTÍCIAS