Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Câmara Municipal faz audiência pública sobre a situação “precária” da regulação

Câmara Municipal faz audiência pública sobre a situação “precária” da regulação

Ocorreu na manhã desta sexta-feira (04), na Câmara Municipal de Feira de Santana, audiência pública com intuito de tratar da situação da regulação do estado da Bahia, esta foi iniciativa do vereador e diretor da Comissão de Saúde, Paulão do Caldeirão (PSC). 

O edil ingressou ao ministério público após receber denúncias de diversas pessoas que se encontravam na fila aguardando uma vaga, um dos casos é sobre a Sra. Eliege dos Santos que deu entrada no dia 22 de janeiro na policlínica do George Américo, e apenas depois de muita luta, mais de 22 dias e intercessão do vereador Paulão, a paciente conseguiu a transferência para um hospital.

“No dia de hoje discutiríamos com os diretores dos hospitais sobre a regulação do estado da Bahia, protocolamos uma denúncia no MP para solucionar esse câncer que se instalou em nosso município, para uma pessoa não morrer hoje em dia tem que recorrer aos vereadores, deputados e pedirem aos jornalistas nas rádios para que realizem as denúncias da demora, pois não aparecem vagas para esses pacientes, os hospitais estão atendendo de portas fechadas escolhendo quem recebe essa vaga, e os demais estão passando dias nas filas e acabam morrendo”, apontou o vereador Paulão.

“Nós fazemos a audiência para tratar do assunto tão importante para o nosso município e os diretores dos hospitais não comparecem”.

De acordo com o requerimento de n°06/2022 onde foi aprovado a audiência cita o nome dos convidados. O secretário de saúde do município, o diretor do HGCA, Dom Pedro de Alcântara, Casa de Saúde Santana, Hospital da Mulher, Hospital da Criança e nenhum destes compareceram ou enviaram representantes. 

Durante a audiência, o deputado estadual e presidente da frente parlamentar em defesa da saúde e vice-presidente da comissão de saúde da ALBA, José de Arimateia (Republicanos), associou o número de mortes de covid-19 com o número de mortes de pessoas na fila da regulação.

“O problema da regulação é tão sério e tão grave que em relação ao covid -19 eles não tem diferença, se você pegar dados e comparar os números de óbito eles chegam bem próximos, não podemos apenas lamentar que os representantes dos hospitais não se fizeram presentes, eu recebi o convite em meu gabinete e aqui estou, pois quando se trata da saúde não podemos politizar a saúde pública pois está em risco a vida de milhares de pessoas, misturar a saúde e o fazer política é inadmissível, nós temos que unir forças para assim podermos discutir os problemas”, pontuou o deputado José de Arimateia.

Durante a sessão, o vereador Paulão do Caldeirão (PSC), informou que havia acabado de receber uma ligação da irmã da senhora Elige dos Santos de que a mesma veio a óbito.

“É triste receber uma ligação dessas, a senhora Eliege passou mais de 22 dias agonizando, esperando uma vaga para transferência, talvez se essa senhora tivesse sido assistida anteriormente ela ainda estivesse viva, essa é a nossa luta, é necessário que os problemas da regulação sejam discutidos e solucionados, mas isso só irá resolver quando um desses saírem presos, pois é um absurdo, uma pessoa chegar a óbito por estar aguardando uma vaga da regulação”.

Para o deputado estadual Carlos Geilson a população não deve ficar a mercê dos políticos, pois é de direito dos cidadãos serem atendidos. 

“O que é importante não é se audiência pública está superlotada, a resposta é que se as pessoas que estão presentes entendem que devemos acabar com essa fila da morte, um problema que atinge a toda a população feirense e devemos dizer chega, se a saúde pública está nessa condição, precisamos fazer uma reflexão”, apontou Carlos Geilson. 

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS