Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

“Caixa Econômica tem tratado com muito descaso”, afirma secretária em relação a situação dos proprietários das casas do Condomínio Iguatemi I que pegou fogo em 2018

“Caixa Econômica tem tratado com muito descaso”, afirma secretária em relação a situação dos proprietários das casas do Condomínio Iguatemi I que pegou fogo em 2018

“A convite do vereador Paulão do Caldeirão estou nessa casa hoje para falar do incêndio ocorrido em algumas das casas do condomínio Iguatemi I, gostaria de deixar mais uma vez o descaso da Caixa Econômica, não só com os moradores e com a secretaria de Habitação, mas também com esta Casa, a Caixa tem tratado com muito descaso todos os casos”, disse a secretária. 

O seguro vence no final de dezembro, e a Caixa Econômica e o Banco do Brasil não utilizaram deste seguro. “Me informaram que poderiam fazer as áreas comuns, mas não a casa dos moradores, e afirmaram que não fizeram devido as casas terem sido saqueadas”. 

A Caixa informa que os apartamentos foram abandonados e vandalizados, então não irá se responsabilizar por reparar estes danos. “Os moradores alegam que abandonaram os apartamentos, por ficarem sem luz e que não tiveram de imediato nenhuma atitude por parte da Caixa”, pontuou Cintia.

Sem seus apartamentos os moradores estão vivendo de favor na casa de familiares, segundo Rosangêla do Carmo, uma das proprietárias das casas incendiadas, nunca recebeu cesta básica e muito menos auxílio moradia. “A caixa não faz nada por nós, nunca recebi o auxílio moradia, eu cuido da minha mãe cadeirante precisamos voltar para nossa casa, estou morando de favor na casa do meu cunhado que me manda embora todo dia, não aguento mais essa humilhação, quero voltar para minha casa”, disse.

Marinalva Rodrigues, mãe de uma das vítimas fatais do incêndio, também estava presente e solicitou que se fizesse justiça. “É desumano deixar as pessoas que estão precisando retornar às suas casas e não conseguirem, eu quero justiça”. 

OUTRAS NOTÍCIAS