Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

‘Cada conta que cai eu perco no mínimo R$ 10 mil’, diz Dum Ice sobre queda do Instagram

‘Cada conta que cai eu perco no mínimo R$ 10 mil’, diz Dum Ice sobre queda do Instagram

No universo paralelo das redes sociais, o documento de identificação de um indivíduo é representado por seu @. Para existir em uma plataforma como o Twitter ou Instagram, por exemplo, o Bahia Notícias tem o seu perfil @BahiaNotícias. Mas o que acontece quando você perde a sua “identidade”?

No mundo real é fácil, basta se direcionar ao SAC mais próximo para obter a segunda via do documento. Agora, quando o assunto é virtual, o buraco é mais embaixo e um pouco mais fundo, e é neste lugar que alguns @s se encontram.

Everton Almeida no mundo real, Dum Ice no mundo virtual. Sua identidade física permanece intacta, guardada na carteira, já o @ nas redes sociais, um perfil com mais de 2 milhões de seguidores no Instagram, foi derrubado pela plataforma há dois meses e o caso permanece sem respostas e com prejuízo financeiro de 50% do lucro do influenciador.

Em seu primeiro contato com o Bahia Notícias, logo após a conta cair (leia aqui), Dum revelou que ainda não estava trabalhando com a hipótese de ir para a Justiça e não tinha acompanhamento jurídico para o caso. Dois meses depois, o cenário mudou.

“Agora eu estou com uma equipe jurídica. Apareceram alguns advogados e pessoas que não são advogadas, mas que têm contato com o Facebook, [pessoas] que fazem a reativação de conta, mas até agora eu não tive resposta nenhuma. O Instagram falou que o meu caso era um pouco mais complicado, mas não explicaram o porquê”, contou ao site.

O @, que além de ser a sua identidade nas redes sociais é também seu ganha pão, acabou dando um prejuízo grande: cerca de R$ 10 mil a cada vez que precisa solucionar o caso de novo. Dum já está em seu 4º perfil, sendo o novo @odiariodopaideeverton, conta que já existia e passou a ser usada por ele novamente.

“O prejuízo financeiro foi de 50%. Quando caiu o de 2 milhões eu ainda esperei 15 dias para ver se ia voltar, foi quase um mês sem trabalho nenhum, e logo agora que eu comprei minha casa, eu não poderia ficar sem trabalhar. Quando caiu o segundo eu não aguentei, eu surtei. Eu fiquei sem acreditar, quando bateu de noite e eu vi que era real mesmo eu não aguentei e chorei”, relatou.

Foto: Reprodução / Instagram

O motivo do “surto” tem uma explicação (assista aqui). Além de todo tempo dedicado à criação de conteúdo, tem também o investimento feito por ele para retomar o número de seguidores – nada que esteja envolvido com a compra de fãs (prática ilegal) -, e os trabalhos que não puderam ser fechados por causa do perfil offline.

“Fiz campanha, mutirão, fui para o Rio de Janeiro, viajei, e tudo isso tem investimento. Cada conta que cai, no mínimo, só no dia que cai eu perco R$ 10 mil. Pago 3 mil para um para tentar voltar, pago viagem para a gente ter um engajamento melhor, investimento em colaboração com outros influenciadores, só nisso já vai 10 mil. Ai eu fico pensando: vou gastar esse dinheiro, a conta caindo, faço outra, cai de novo. Fiquei com esse pensamento na cabeça, eu fiquei mal”.

O influenciador conta com a ajuda dos seus para se reerguer no mundo virtual. Amigos influenciadores se engajaram na causa para dar a Dum pelo menos metade de seus seguidores originais, entre eles Leozito Rocha, Cristian Bell, a namorada do humorista e também influenciadora Lore Rufis, o produtor musical Rafinha RSQ, Lore Souza, seu grupo de humor 10ocupados, além de nomes nacionais.

“Da primeira vez eu não fiquei tanto do que essa. Essa aqui foi surreal, um conta nova, você tenta se reerguer, o pessoal fica dando conselho para tentar outra conta. A conta cai, foi desespero total, não desejo isso pra ninguém. Sempre fui de abraçar as pessoas, sempre fui de trazer influenciadores novos, de gravar com eles. Então na minha vida toda, nessa área, eu não tenho inimigos. Muitos influenciadores de fora fizeram campanha, fizeram mutirão, e isso foi o que fez meu Instagram, em menos de 2 dias, ter meio milhão”.

Foto: Reprodução / Instagram

Esperançoso com o retorno de sua primeira conta, aquela com 2 milhões de seguidores e um selo de verificado, Dum acredita que até o final do ano ou o começo de 2022 o Instagram dê alguma resposta sobre o caso e reative o perfil.

“Eu ainda tenho muita esperança. Ouvi relatos de pessoas que tiveram a conta de volta com 6 meses, 7 meses. Acho que essa é a data certa para ter uma resposta mais completa. Já está nas mãos do Instagram Brasil, tem um rapaz que está em contato diretamente com o Facebook, o pessoal de fora, e em último caso eu vou colocar na Justiça. A galera que está por trás pediu para eu segurar”.

Informações: Bahia Notícias

OUTRAS NOTÍCIAS